21:11 18 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Sergey Naryshkin

    Expulsar diplomatas russos ajuda o terrorismo internacional, diz oficial da Rússia

    © Sputnik / Vladimir Fedorenko
    Rússia
    URL curta
    362

    A recente expulsão de diplomatas russos por nações ocidentais é tão prejudicial para o combate ao terrorismo internacional que pode ser descrita como ajuda direta a grupos terroristas, disse o chefe do Serviço de Inteligência Estrangeira da Rússia.

    Sergey Naryshkin fez a declaração após uma reunião com três agentes de inteligência russos que estavam entre os recém-expulsos, segundo Sergey Ivanov, chefe do serviço de imprensa da organização.

    "Em sua conversa com colegas recém-chegados do exterior, o chefe do Serviço de Inteligência Estrangeira enfatizou que tais ações de várias nações dificultam a troca de informações sobre segurança com agências e cidadãos russos, além de obstruir o trabalho conjunto de contraterrorismo e serviços especiais", disse Ivanov.

    "Ele também descreveu essas ações de várias autoridades das nações como ajuda direta ao terrorismo", acrescentou.

    O porta-voz também explicou que três agentes do Serviço de Inteligência Estrangeira estavam entre os 152 diplomatas russos expulsos por países estrangeiros na esteira do recente escândalo de envenenamento no Reino Unido. Esses agentes eram especialistas em contraterrorismo e haviam sido oficialmente apresentados às autoridades onde estavam sediados.

    A onda de expulsões diplomáticas mútuas começou em meados de março, quando a Grã-Bretanha anunciou que estava declarando 23 russos — todos funcionários diplomáticos — "personas non grata" após o envenenamento do ex-espião Sergei Skripal e sua filha Yulia. Autoridades britânicas alegaram que a Rússia tinha participação no incidente, mas todos os pedidos de Moscou para ter acesso às evidências em apoio a essas alegações até agora foram rejeitadas.

    Os Estados Unidos logo seguiram o exemplo e anunciaram a expulsão de 60 diplomatas russos e fecharam o consulado russo em Seattle. Várias outras nações ocidentais também se juntaram à campanha, mas o número de diplomatas expulsos foi menor — a maioria apenas um ou dois de cada país.

    A Rússia condenou a campanha como ilegal e disse que ela contradiz o senso comum, mas teve que responder com a expulsão de um número igual de diplomatas de todas as nações envolvidas, bem como com o fechamento do consulado dos EUA em São Petersburgo.

    Mais:

    Lavrov: expulsão de diplomatas russos foi uma provocação
    Evo Morales se solidariza com a Rússia e critica expulsão de diplomatas
    Expulsão de diplomatas dos EUA da Rússia deteriora ainda mais as relações, diz Casa Branca
    Tags:
    diplomatas, violência, terrorismo, segurança, Serviço de Inteligência Estrangeira da Rússia, Sergey Ivanov, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Sergey Naryshkin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik