02:17 27 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Desembarque dos fuzileiros navais da Frota do Mar Negro da Marinha russa (foto de arquivo)

    Rússia cria no mar de Azov grupo especial para lutar com pirataria ucraniana

    © Sputnik / Sergei Pyatokov
    Rússia
    URL curta
    7242

    No mar de Azov começou seu patrulhamento um grupo especial para prevenir a atividade de pirataria por parte da Ucrânia, afirmou nesta quinta-feira (5) o chefe da Administração Territorial dos mares de Azov e Negro da agência das pescas russa, Igor Rulev.

    De acordo com ele, a nova estrutura vai coordenar a colaboração da administração das pescas com a administração fronteiriça, bem como fornecer informações sobre a localização das embarcações.

    Anteriormente, Rulev comunicou que os pescadores podem não recear sair ao mar já que sua segurança será garantida pelo Serviço Federal de Segurança russo.

    Além disso, a administração divulgou recomendações relacionadas com as regras da pesca. De acordo com elas, é necessário avisar de antemão os órgãos competentes sobre o percurso da embarcação e, no caso de uma situação de emergência, é necessário entrar em contato usando uma banda de frequências especial, se lê no site do Instituto de Investigação das Pescas de Azov.

    No dia 26 de março, os guardas-costeiros ucranianos detiveram a embarcação de pesca russa Nord, acusando a tripulação de violar a fronteira marítima. O navio foi apreendido e enviado ao porto ucraniano de Berdyansk. Moscou exige que a Ucrânia lhe devolva a embarcação e liberte os tripulantes.

    Navio de pesca Nord, apreendido pelos guardas-costeiros ucranianos em 26 de março de 2018
    Navio de pesca Nord, apreendido pelos guardas-costeiros ucranianos em 26 de março de 2018

    Segundo relatou o capitão do navio, Vladimir Gorbin, os guarda-fronteiras prometeram libertar os tripulantes detidos caso eles apresentem bilhetes de identidade ucranianos. Enquanto isso, Gorbin assinalou que o cônsul russo teve negado o acesso à tripulação sob pretexto que na embarcação não há cidadãos da Rússia.

    Anteriormente, o capitão da embarcação foi transportado a um departamento do Serviço de Segurança ucraniano. Kiev afirmou que ele pode ser condenado a cinco anos de prisão.

    Mais:

    Papa Francisco destaca conflitos na Ucrânia e no Oriente Médio em mensagem de Páscoa
    Chancelaria russa: terroristas de Iraque e Síria usam a Ucrânia para chegar à Europa
    Kremlin: Maioria das 'fake news' sobre incêndio na Rússia vieram da Ucrânia e Turquia
    Tags:
    proteção, navio, Mar de Azov, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik