12:27 18 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira da União Europeia e outras bandeiras em frente à Torre do Salvador do Kremlin, Moscou, 29 de março de 2018

    Opinião: países europeus terão que restabelecer relações com Rússia após caso Skripal

    © AFP 2018 / MLADEN ANTONOV
    Rússia
    URL curta
    21273

    Os especialistas britânicos não conseguiram encontrar a origem da substância usada para o envenenamento do ex-agente russo Sergei Skripal e sua filha. Vladimir Shapovalov, em entrevista concedida ao serviço russo da Rádio Sputnik, observou que os europeus terão que reconstruir do zero as relações com a Rússia.

    Segundo Gary Aitkenhead, chefe do centro de pesquisa militar da Grã-Bretanha em Porton Down, os especialistas não conseguiram identificar a fonte do agente nervoso, no entanto, as amostras obtidas foram identificadas como uma substância venenosa, parecida com a substância A-234 (também conhecida como "Novichok").

    Ainda de acordo com ele, as informações científicas foram encaminhadas para o governo que "usou uma série de outras fontes para estipular as conclusões".

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ao comentar o caso Skripal na última terça-feira (3), disse que o agente nervoso da classe Novichok [substância A-234] pode ser fabricado em 20 países.

    O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, por sua vez, disse que a teoria de Londres sobre o envolvimento de Moscou no envenenamento de Skripal não será comprovada de qualquer modo e que a Grã-Bretanha terá que se desculpar perante a Rússia.

    "O ministro britânico das Relações Exteriores, que acusou o presidente russo, e o primeiro-ministro da Grã-Bretanha terão de dizer algo aos seus parceiros da UE e deverão, de algum modo, pedir desculpas à Rússia", disse.

    Segundo Peskov, não vale a pena esperar por um rápido desenvolvimento da situação.  

    "Certamente é uma longa história e infelizmente essa trama foi longe demais, entendemos que isso não se encerrará de imediato", comentou.

    Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o cientista político Vladimir Shapovalov expressou a opinião de que os europeus terão que restabelecer relações com a Rússia.

    "A informação de que não há evidências desencadeará com certeza a reação de políticos europeus que perceberão que foram enganados e que se passaram por ridículos nesta situação. Todos os países da União Europeia e da OTAN que, juntamente com o Reino Unido e os Estados Unidos, acreditavam nas declarações não comprovadas do lado britânico, e não confirmadas por nenhum fato concreto, devem de algum modo sair desta situação e estabelecer novas relações com a Rússia, uma vez que esta correlação é muito forte. Tudo isso mostra que os círculos políticos no Reino Unido e nos EUA não medem esforços para desacreditar a Rússia", disse Vladimir Shapovalov.

    O ex-agente russo Sergei Skripal e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes no dia 4 de março no centro de Salisbury. As autoridades britânicas afirmam que os dois foram envenenados com uma substância desenvolvida no âmbito do programa soviético "Novichok" e acusam o envolvimento de Moscou. Neste caso, tanto na União Soviética como na Rússia, não existiam armas químicas com esse nome, e as toxinas foram numeradas.

    Em consequência do envenenamento de Skripal, o Reino Unido expulsou 23 diplomatas russos. A decisão foi apoiada por 16 países da UE, assim como pelos EUA, Canadá, Noruega, Austrália e Ucrânia. Ao mesmo tempo, a OTAN reduziu em um terço o número de funcionários da missão diplomática russa na aliança.

    A Rússia respondeu à expulsão dos diplomatas com medidas recíprocas.

    Mais:

    Mídia: conta bancária secreta poderia ter provocado envenenamento de Yulia Skripal
    Rússia não aceitará resultado da investigação do caso Skripal sem envolver seus peritos
    Embaixador russo nos EUA: caso Skripal é pretexto para difamar Rússia
    A vez da França: Rússia exige 10 respostas de Paris sobre caso Skripal
    Tags:
    provas, pedido de desculpas, relações, envenenamento, A-234, agente nervoso, Novichok, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Gary Aitkenhead, Dmitry Peskov, Vladimir Putin, Salisbury, Grã-Bretanha, EUA, União Europeia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik