08:38 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Secretário de Estado norte-americano James Mattis gestures durante a conferência de imprensa sobre a campanha contra o Daesh no Pentágono, Washington, 19 de maio de 2017

    'Expulsão de diplomatas russos é recado para quem duvidava da unidade da OTAN', diz Mattis

    © REUTERS / Yuri Gripas
    Rússia
    URL curta
    16212

    O secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, declarou nesta terça-feira (27) que a decisão da OTAN de cortar sete diplomatas da missão russa na organização é uma declaração para aqueles que duvidavam da união da Aliança.

    O secretário de Defesa disse também que, apesar de a Rússia ter o potencial de ser parceira da Europa, neste momento o país escolheu "buscar um relacionamento diferente com os membros da OTAN".

    A declaração de Mattis aparece no contexto em que o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, anunciou sanções contra a Rússia em conexão com o envenenamento do ex-espião russo, Sergei Skripal. 

    Desde segunda-feira (26), 17 países da União Europeia, EUA, Canadá, Albânia, Ucrânia, Noruega, Macedônia e Austrália, anunciaram a expulsão de diplomatas russos como represália pelo suposto envolvimento russo no caso Skripal.  

    A Rússia repetidamente rejeitou todas as alegações, classificando-as como infundadas e manifestando o desejo de participar da investigação do caso. No entanto, o pedido de Moscou pelas amostras da substância química usada para envenenar Skripal foi rejeitado.

    Mais:

    Moldávia se junta ao boicote e declara 3 diplomatas russos como 'persona non grata'
    Moscou: EUA 'muito provavelmente' planejaram expulsar diplomatas russos de antemão
    Austrália decide expulsar 2 diplomatas russos
    Turquia se recusa a expulsar diplomatas russos e destaca 'boa relação' com Moscou
    Tags:
    envenenamento, diplomatas, OTAN, Sergei Skripal, Jens Stoltenberg, James Mattis, Reino Unido, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik