02:00 16 Julho 2018
Ouvir Rádio
    O edifício do Ministério das Relações Exteriores russo na Praça Smolenskaya-Sennaya, em Moscou

    'Lista negra' da Rússia está prestes a receber mais nomes

    © Sputnik / Natalia Seliverstova
    Rússia
    URL curta
    3131

    Sergei Ryabkov, vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, revelou as medidas que estão sendo planejadas por Moscou para responder às sanções unilaterais dos EUA, introduzidas contra a Rússia em 15 de março.

    O governo russo acrescentará à sua "lista negra" um novo grupo de norte-americanos em resposta às últimas restrições unilaterais da Casa Branca, afirmou Sergei Ryabkov, vice-chanceler russo.

    Em 16 de março, Washington ampliou a lista de sanções contra Moscou, ao por restrições a pessoas e empresas acusadas por Washington de ter interferido nas eleições presidenciais nos EUA em 2016, ou seja, mais 14 pessoas físicas e uma empresa.

    Enquanto isso, Ryabkov destacou que a Rússia não descarta a aplicação de medidas adicionais já que o país utiliza princípio de paridade na tomada de decisões.

    "Desde o início apoiamos a paridade em número de pessoas, que são incluídas nas listas de sanções. Então, vamos acrescentar à nossa 'lista negra' mais um grupo de norte-americanos", afirmou o diplomata, comentando sanções impostas pelos EUA em relação à Rússia.

    Ryabkov frisou que as medidas de retaliação da Rússia não são uma escolha nem métodos aplicados por Moscou. De acordo com ele, a Rússia não quer fechar definitivamente a janela de diálogo com os EUA.

    "Agimos assim somente devido à teimosia política dos EUA e à sua má preparação para aceitar a realidade. Outros passos podem ser dados por nós, calibrando-os em conformidade com nossos interesses e, claro, necessidade de não fechar completamente uma janelinha para iniciar ao menos a estabilização nas relações bilaterais com Washington", concluiu.

    Mais:

    Lavrov: Rússia tem evidências de que Ocidente poupa Frente al-Nusra para substituir Assad
    Rússia não tem provas de coalizão dos EUA ter como alvo Frente al-Nusra, diz Lavrov
    Rússia: EUA devem parar de contribuir para escalada da violência na Síria
    Tags:
    resposta, sanções, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik