08:24 23 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Prédio do Congresso norte-americano

    EUA introduzem novas sanções contra Rússia

    © Sputnik / Igor Mikhalev
    Rússia
    URL curta
    6324

    Washington ampliou a lista de sanções contra Moscou que o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos publicou em seu site oficial.

    Na lista de sanções foram incluídas pessoas e empresas, acusadas por Washington de terem interferido nas eleições presidenciais nos EUA em 2016, ou seja, mais 14 pessoas físicas e 1 empresa.

    A Casa Branca frisou que as novas limitações é resposta à Rússia pelos "ciberataques".

    Além disso, o Serviço Federal de Segurança e o Departamento Central de Inteligência russos, que já haviam sido sancionados pelos EUA, foram incluídos em uma lista adicional na sequência do novo "Ato de Combater o Acidente de Medidas de Sanções" (CAATSA, sigla em inglês).

    Em 2 de agosto de 2017, o presidente norte-americano, Donald Trump, assinou o CAATSA contra a Rússia, Irã e a Coreia do Norte. No terceiro trimestre de 2017, a administração dos EUA apresentou a lista de pessoas físicas e entidades envolvidas no setor de defesa e de inteligência da Rússia que podem ser sancionadas por transações "consideráveis". A execução da lei foi iniciada em 29 de janeiro de 2018.

    Segundo o Departamento de Estado dos EUA, a lei impedirá que empresas e pessoas físicas fechem contratos com entidades russas, acrescentando que a iniciativa já resultou em perdas de bilhões de dólares para o setor de defesa russo.

    Os serviços norte-americanos acusaram pela primeira vez a Rússia de interferir nas eleições dos EUA em 2016. Tais acusações são negadas tanto por Moscou como pela Casa Branca. No dia 12 de março, o senador republicano Michael Conaway, presidente do Comitê de Inteligência do Senado dos Estados Unidos, afirmou que os republicanos não encontraram evidências de cooperação entre a campanha de Donald Trump e a Rússia durante as eleições presidenciais de 2016.

    Mais:

    'Ineficazes': partido mais votado na Itália defende o fim das sanções contra a Rússia
    Analista militar explica por que sanções contra Rússia são inúteis
    Exportações de alimentos da Rússia podem duplicar até 2025 graças a sanções internacionais
    Tags:
    sanções, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik