08:26 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Navio russo 50 Let Pobedy no oceano Ártico

    Aliança Atlântica 'não consegue alcançar' Moscou na região do Ártico

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Rússia
    URL curta
    7123

    O comandante em chefe das forças estadunidenses da OTAN na Europa, general Curtis Scaparrotti, considera que a presença da Aliança no Ártico não se equipara à da Rússia.

    Scaparrotti discursou perante o Comitê das Forças Armadas do Senado dos EUA e advertiu que a Rússia "representa uma ameaça" na região setentrional. O comandante apelou aos representantes da entidade e perguntou se os Estados Unidos têm potencial para parar o avanço da Rússia no Ártico.

    "Não podemos alcançar a Rússia", reconheceu Scaparrotti. Ele acrescentou que Moscou está se armando no Ártico e pode estar em posição de controlar o mar do Norte e, portanto, as rotas de trânsito do Extremo Norte "no prazo de três anos".

    Assim, de acordo com ele, a Rússia poderia passar a controlar as rotas marítimas do Ártico.

    "Seu objetivo declarado é garantir a segurança para a prosperidade econômica do Ártico… Mas, se olharmos ao que está acontecendo lá, é claro que, no futuro, eles poderão controlar as rotas marítimas se quiserem", disse Scaparrotti.

    O comandante explicou que a Rússia está modernizando suas bases militares no Ártico, que datam ainda da União Soviética, e que "com certeza" são cerca de sete ou nove. Particularmente, disse ele, se trata daquelas localizadas no início e no final da rota marítima.

    Nos últimos anos, a Rússia tem desenvolvido ativamente seus territórios do Norte. Este desenvolvimento inclui, particularmente, a extração de hidrocarbonetos e a construção da Rota Marítima do Norte, que representa uma alternativa às rotas comerciais tradicionais entre a Europa e a Ásia.

    "As medidas que a Rússia está levando a cabo no Ártico, incluindo militares, visam proteger os interesses russos no Norte, dada a crescente atenção que os países integrantes da OTAN estão prestando à região", ressalta o colunista do Sputnik Aleksei Bogdanovsky.

    Para mais, a Rússia possui quatro armazéns de mísseis Bulava (mísseis para submarinos da classe Borei) construídos na base militar em Severomorsk, a principal base da Frota do Norte. No início de fevereiro, o Ministério da Defesa da Rússia anunciou a construção de estações de radar nas cidades de Orsk, Barnaul e Vorkuta, esta última na região do Ártico, pertencentes às Tropas de Defesa Aeroespacial.

    Mais:

    É assim que infantaria naval russa se treina no Ártico (VÍDEO)
    Rússia assegura liderança comercial no Ártico, deixando pouca chance para outros
    Que ameaça está escondida nas terras congeladas do Ártico?
    Tags:
    rota marítima, OTAN, Curtis Scaparrotti, Ártico, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik