05:07 17 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Editora-chefe do RT e da Sputnik, Margarita Simonyan no Terceiro Fórum de Mídia China-Rússia, Moscou

    Editora-chefe da Sputnik sobre 'intervenção' no Brexit: culpam RT e Sputnik de tudo

    © Sputnik / Vitaly Belousov
    Rússia
    URL curta
    750

    A editora-chefe da Sputnik e do RT, Margarita Simonyan, comentou a declaração da empresa de comunicação britânica 89up sobre a "influência significativa" do canal de televisão e agência Sputnik no referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.

    "Os marqueteiros britânicos não propagandearam bastante as vantagens do Reino Unido na UE e culparam o RT e a Sputnik do seu fracasso. Não podem suportar que seus cidadãos possam pensar independentemente, ler algo além do jornal Times e votar como querem", notou Simonyan.

    O referendo sobre o Brexit se realizou em junho de 2016. Nele, 51,89% dos britânicos votaram a favor da saída da União Europeia.

    Investigação da 89up

    A mídia britânica divulgou a investigação da agência de comunicação 89up sobre "as tentativas da Rússia" de influenciar os resultados do referendo.

    De acordo com a análise, as publicações da mídia russa, em particular do RT e da Sputnik, e sua divulgação nas redes sociais tiveram um impacto no Brexit quatro vezes maior do que a campanha oficial a favor da saída do Reino Unido da União Europeia.

    Os resultados foram encaminhados aos comitês parlamentares que participam da investigação sobre "a interferência" russa.

    Investigação da 'interferência'

    Em novembro, a comissão eleitoral britânica lançou uma investigação sobre as fontes de financiamento da campanha a favor da saída do Reino Unido da União Europeia (Vote Leave).

    Os proprietários das redes sociais receberam pedidos escritos para prestar a respectiva informação.

    Em resposta, o Facebook comunicou que as estruturas russas gastaram um pouco mais de um dólar em publicidade relativa à votação no Brexit.

    Por sua vez, o Twitter anunciou que, no período em análise, o RT gastou com esta publicidade um mil dólares (cerca de três mil reais).

    A Rússia refutou várias vezes as acusações de tentar influenciar as eleições em vários países. O porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, chamou-as de "absolutamente infundadas".

    Mais:

    Editora-chefe da Sputnik critica classificação do Google a notícias da agência e da RT
    Senado dos EUA produz relatório crítico a práticas editoriais da Sputnik
    EUA obrigam empresa parceira da Sputnik a se registrar como agente estrangeiro
    Tags:
    referendo, Brexit, RT, Sputnik, Margarita Simonyan, União Europeia, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik