10:35 18 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Foto de 22 de março de 2017 tirada na região da cidade de Maardes, na Síria, mostra rebeldes carregando a bandeira do Tahrir al-Shamn province of Hama, shows rebel fighters walking past an armoured vehicle carrying the flag of the Tahrir al-Sham rebel alliance

    Grupo terrorista assume responsabilidade por ataque a avião SU-25 russo

    © AFP 2018 / Omar haj kadour
    Rússia
    URL curta
    Piloto russo morre na Síria (10)
    171117

    O grupo jihadista Tahrir Al-Sham, ligado a um antigo braço da Al-Qaeda na Síria, assumiu a responsabilidade por derrubar um avião de combate russo SU-25 utilizando uma arma antiaérea portátil.

    O Tahrir al-Sham fez uma postagem em suas redes sociais citando um comandante encarregado de seus ataques aéreos, dizendo que um dos seus militantes atingiu o SU-25 russo durante uma 'incursão aérea' sobre a cidade de Saraqeb na província noroeste de Idlib.

    Mais cedo neste sábado (3), o ministério da Defesa russo afirmou em comunicado que dezenas de terroristas foram mortos em ataque na região em que o SU-25 russo foi abatido, na província de Idlib.

    "Enquanto patrulhava a zona de redução de conflito, a aeronave russa SU-25 caiu […]. De acordo com informações preliminares, o avião foi atingido por um sistema antiaérea portátil", afirmou o ministério em comunicado, adicionado que o piloto fora morto no solo.

    O piloto teria ainda conseguido ejetar do avião antes da queda e pousou em uma área controlada pelo grupo terrorista Frente al-Nusra. O piloto morreu em confronto com os terroristas.

    O grupo terrorista Tahrir al-Sham inclui a organização antigamente conhecida como Frente al-Nusra, que servia como braço da Al-Qaeda na região.

    Tema:
    Piloto russo morre na Síria (10)

    Mais:

    Su-25 russo é derrubado na Síria e piloto é morto
    Rússia retalia derrubada de caça: 30 terroristas foram eliminados na Síria
    Tags:
    Guerra da Síria, Idlib, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik