11:04 20 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Aeronave da Marinha dos EUA, P-8A Poseidon, produzida pela Boeing

    Nova provocação? Aviões militares dos EUA voltam a patrulhar fronteira russa (FOTO)

    © AFP 2018 / CARL COURT / AFP
    Rússia
    URL curta
    19325

    Dois aviões de reconhecimento estadunidenses decolaram da base britânica Mildenhall e se dirigiram para a fronteira russa no Báltico, comunica um portal de monitoramento.

    A operação contou com a participação de uma aeronave Boeing RC-135W da Força Aérea dos EUA e um avião de patrulha antissubmarino P-8A Poseidon, informa a conta Mil Radar no Twitter.

    ​Na segunda-feira (29), um caça russo Su-27 acompanhou um avião EP-3 Aries da Marinha dos EUA nos céus sobre o mar Negro, perto da Crimeia. Nos EUA, a manobra foi qualificada como "insegura". As autoridades do país observaram que tais ações arriscam acarretar "consequências catastróficas". Em opinião dos militares estadunidenses, o caça se aproximou do EP-3 perto demais.

    ​Entretanto, o Ministério da Defesa da Rússia chamou as ações do Su-27 de "rotineiras, absolutamente legais e completamente seguras" e aconselharam ao Pentágono para deixar de efetuar voos perto da fronteira russa. Em resposta, Washington afirmou que a aviação militar continuará o "monitoramento" do espaço aéreo internacional perto das fronteiras russas.

    Desde o início de 2018, os aviões de reconhecimento norte-americanos voaram perto das fronteiras russas no Báltico cerca de 14 vezes. Ademais, se tornou conhecida a missão de um drone estadunidense RQ-4A Global Hawk por cima das águas do mar Negro, ao longo da costa da Crimeia.

    Mais:

    Protegendo soberania: Rússia intercepta 16 aviões que espionavam suas fronteiras
    Rússia intercepta avião de espionagem dos EUA sobre o Mar Negro
    Caça russo intercepta avião espião dos EUA sobre mar Negro
    Tags:
    patrulha, intercepção, caça, Força Aérea dos EUA, Mar Báltico, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik