16:43 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Líder da Chechênia Ramzan Kadyrov

    Putin defende os muçulmanos como prometeu, elogia o líder checheno Kadyrov

    © Sputnik / Said Tcarnaev
    Rússia
    URL curta
    9264

    O líder checheno Ramzan Kadyrov afirmou que o presidente russo Vladimir Putin se manteve fiel à sua promessa de apoiar os muçulmanos na Rússia e em todo o mundo, acrescentando que políticas ocidentais só trouxeram guerra e destruição às nações islâmicas.

    Em uma nova mensagem publicada na rede social Telegram, Kadyrov agradeceu a Putin por seu apoio aos muçulmanos chechenos. Ele escreveu que Putin estava cumprindo sua promessa de proteger a liberdade religiosa e a igualdade para todas as grandes confissões na Rússia.

    Além disso, Kadyrov disse que essas políticas eram uma prova adicional de que a Federação Russa é um parceiro confiável para todas as nações muçulmanas.

    "Estas não são apenas palavras. Vladimir Putin provou constantemente que está cumprindo suas promessas. Enquanto os Estados Unidos e seus aliados estão trazendo guerras e destruição ao mundo muçulmano, a Rússia está defendendo consistentemente os interesses das nações e dos povos islâmicos", escreveu o líder checheno.

    A promessa mencionada por Kadyrov foi feita por Putin em 2005, quando o presidente russo concedeu um discurso perante o Parlamento checheno. Naquela ocasião, Putin prometeu apoio aos muçulmanos tradicionais na Rússia e em todo o mundo, dizendo que a Rússia continuaria sendo um parceiro confiável para os países muçulmanos.

    Educação islâmica

    Em sua mensagem, Kadyrov também chamou a atenção para uma declaração mais recente do presidente russo. Na última quarta-feira, Putin reuniu-se com representantes do clero muçulmano na cidade de Kazan e disse que as autoridades russas apoiariam a educação islâmica através das principais universidades estaduais e outros meios.

    Putin também enfatizou que os estudos no islamismo tradicional eram uma parte importante da luta contra ideias extremistas prejudiciais e grupos radicais.

    "Essas ideias, mesmo destrutivas, só podem ser abordadas de uma maneira: através de outras ideias. Aquelas que são promovidas e ensinadas às pessoas na Academia Teológica, que foi criada aqui [em Kazan] e em outras academias e instituições educacionais […] em Moscou, Ufa e o Cáucaso", afirmou.

    Em sua mensagem no Telegram, Kadyrov apoiou a posição de Putin sobre o assunto.

    "Na Chechênia, existem duas universidades islâmicas, seis escolas Hafiz [escolas dedicadas para estudar e memorizar o Alcorão] e dezenas de Madrasas. Por isso, estamos sinceramente agradecidos a Vladimir Vladimirovich", continuou.

    Entretanto, o líder checheno destacou que "todos os direitos estão ligados a responsabilidades", dizendo-se que "os muçulmanos devem combater ativamente os movimentos destrutivos e anti-islâmicos como o wahhabismo".

    "As posições conciliadoras nunca levam a nada de bom, e sempre aderiremos à nossa posição de que nunca devemos permitir que o wahhabismo se crie em nenhuma das regiões russas", concluiu Kadyrov.

    Mais:

    Ao bloquear conta do chefe checheno, Instagram tenta 'calar sua voz'?
    Facebook explica por que resolveu bloquear líder checheno
    Líder checheno informa sobre detenção de terrorista ligado ao Daesh na Síria
    Tags:
    religião, política, promessas, wahhabismo, islâmicos, muçulmanos, Vladimir Putin, Ramzan Kadyrov, Estados Unidos, Chechênia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik