18:18 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Charles Robert Darwin

    Ministro da Educação indiano não acredita em Darwin por motivo inusitado

    © East News / Universal History Archive/UIG
    Rússia
    URL curta
    11104

    "Ninguém nunca viu um macaco virar um homem". Esta foi a lógica apresentada pelo Ministro da Educação da Índia, em uma tentativa de "desmascarar" a teoria da evolução de Darwin. A declaração gerou piadas e um pedido de retratação feito pela comunidade indiana.

    "Ninguém, incluindo nossos antepassados, por escrito ou oral, disse que viu um macaco se transformar em um homem", disse Satyapal Singh enquanto presidia uma conferência em Aurangabad, cidade no estado de Maharashtra na sexta-feira.

    Ele defendeu a retirada da teoria evolucionista — aceita por unanimidade pela comunidade científica — dos livros didáticos do país. O comediante Vir Das foi um dos primeiros a brincar com o assunto.

    O diretor Farhan Akhtar respondeu de forma satírica à declaração do ministro. "Macacos protestam contra a Origem das Espécies de Darwin. Eles negam envolvimento com a existência de certo homosapiens".

    No entanto, apesar da reação severa de todos os lugares, o ministro manteve o posicionamento.

    "Estou absolutamente de acordo com o meu comentário de que a teoria da evolução de Charles Darwin não é científica. Há poucas evidências para fundamentar a teoria. Grandes cientistas do mundo vieram dizer que não há evidências disponíveis no mundo que possam provar a teoria de a evolução está correta", disse o ministro em outra conferência, segunda-feira, no IIT-Guwahati, uma das principais instituições técnicas da Índia.

    Ele mesmo pediu uma conferência internacional para verificar a veracidade da teoria de Darwin.

    "Proponho, se o Ministério do Desenvolvimento e Recursos Humanos estiver pronto, patrocinar uma conferência internacional de nível mundial para decidir o que é verdadeiro e factual e que deve ser ensinado em escolas e faculdades", disse Satyapal Singh.

    Enquanto isso, cientistas de toda a Índia começaram a coletar assinaturas contra o ministro Singh e suas observações, vistas como um insulto ao verdadeiro trabalho de pesquisa. A comunidade científica pretende entregar a petição assinada ao Governo para pedir ao Ministro retratasse sua declaração. Já são mais de 4.000 assinaturas e o texto continua recebendo apoio de cientistas e acadêmicos de mais de 25 das principais instituições educacionais do país.

    A teoria evolucionista darwiniana consiste em três suposições: 1) todos os seres vivos descem de um antepassado comum; 2) os principais mecanismos para as mudanças que dão origem a novas espécies resultam de mutação e seleção natural ou "sobrevivência do mais apto"; 3) estes são processos naturais não orientados.

    Embora a pesquisa genética moderna fundamente em grande parte as ideias de Darwin, elas continuam sendo uma fonte de controvérsia, especialmente entre os devotos religiosos. A Turquia removeu todas as menções ao naturalista inglês de seus currículos didáticos em 2017, em grande parte devido à alegada incompatibilidade da teoria com a educação islâmica "baseada em valores" do país.

    Mas foi a lógica por trás do argumento do ministro indiano a fazer sucesso.

    Tags:
    Ministério do Desenvolvimento e Recursos Humanos da Índia, IIT-Guwahati, Vir Das, Charles Darwin, Farhan Akhtar, Satyapal Singh, Turquia, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik