15:28 22 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Margarita Simonyan, editora-chefe da Sputnik e RT, foto de arquivo

    Editora-chefe da Sputnik comenta dados sobre 'papel' da Rússia nas eleições nos EUA

    © Sputnik / Vladimir Trefilov
    Rússia
    URL curta
    380

    Dentro de cinco anos, os EUA entenderão que a Rússia não teve nenhuma relação com as eleições presidenciais norte-americanas de 2016, considera a editora-chefe da Sputnik e RT, Margarita Simonyan.

    Durante uma entrevista para o canal CBS, Simonyan foi questionada sobre o que ela pensa dos dados de serviços de inteligência dos EUA que declararam sobre a "interferência da Rússia" nas eleições norte-americanas e participação do RT a respeito do assunto.

    "Vocês acreditam neles [serviços de inteligência]. Assim como acreditavam, que o Iraque possuía armas de destruição em massa. Vocês não acreditavam nisso? Continuem acreditando que ocorreu a intervenção russa nas eleições norte-americanas. Dentro de cinco anos perceberão que isto nunca aconteceu", declarou Simonyan.

    Ela negou que o RT apoiava a candidatura de Trump nas eleições. A editora-chefe lembrou que muitas mídias, inclusive britânica e francesa apoiaram Hillary Clinton, no entanto sua posição não foi avaliada como interferência no processo eleitoral dos EUA.

    Congresso norte-americano está realizando a investigação independente sobre a suposta intervenção russa nas eleições presidenciais nos EUA em 2016. Aparecem frequentemente notícias na mídia com informações de algumas fontes anônimas sobre contatos de Trump com autoridades e homens de negócios russos.

    A Rússia nega o fato destas ligações e chama todas as acusações de infundadas.

    Mais:

    Margarita Simonyan ridiculariza relatos de interferência da agência nas eleições nos EUA
    Editora-chefe da Sputnik diz não entender as 'democráticas' recomendações francesas
    Editora-chefe: RT conseguiu desmascarar a notícia falsa mais terrível sobre Síria
    Tags:
    eleições 2016, intervenção, RT, Margarita Simonyan, Donald Trump, Hillary Clinton, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik