17:10 22 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Ponte da Crimeia em construção

    'Negócio perdido': Crimeia reage à demanda da Ucrânia quanto à ponte que a ligará à Rússia

    © Sputnik / Aleksandr Polegenko
    Rússia
    URL curta
    8361
    Nos siga no

    Reivindicações jurídicas da Ucrânia em relação à Rússia quanto à construção da ponte via estreito de Kerch é um "negócio perdido" e não são capazes de impedir a obra histórica, afirmou o vice-premiê do governo da Crimeia, Dmitry Polonsky.

    Anteriormente, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, ordenou uma demanda judicial contra a construção da ponte da Kerch devido à ameaça ao meio ambiente que sua construção alegadamente representa.

    O vice-premiê da península frisou que as autoridades atuais da Ucrânia, que antigamente era um país grande e bom, agora só são capazes de ordenar.

    "Não vou avaliar as perspectivas desse negócio perdido, só sei que a preparação e a possível análise desse documento vão ter um caráter ambicioso e mesmo hoje já podemos adivinhar qual poderá ser a decisão. Contudo, quaisquer que sejam as ações [por parte da Ucrânia], a ponte da Crimeia será construída e finalmente ligará a península da Crimeia com a parte continental da Rússia", assinalou Polonsky à Sputnik.

    De acordo com ele, os cidadãos da Federação da Rússia e visitantes do país irão utilizar a ponte com muito prazer.

    "Nenhum tipo de demandas, reivindicações, especialmente por parte desse semigoverno, são capazes de impedir o processo histórico", sublinhou o vice-premiê.

    A ponte via estreito de Kerch, que ligará a Crimeia e região de Krasnodar, se tornará a mais extensa na Rússia, seu comprimento será de 19 quilômetros. A inauguração da ponte está agendada para dezembro de 2018.

    Mais:

    Grandiosa ponte da Crimeia vista do espaço
    Primeiro navio da Marinha russa passa por debaixo da ponte da Crimeia
    Arco ferroviário gigante da ponte da Crimeia inspira cosmonautas (FOTOS)
    Tags:
    processo, ponte, demanda, Crimeia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar