22:11 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Krasukha 4, sistema de guerra eletrônica das Forças Armadas da Rússia

    Mídia: Rússia supera EUA em desenvolvimento de meios de guerra eletrônica

    © Foto / ROSTEC
    Rússia
    URL curta
    9193
    Nos siga no

    Entre os produtos militares russos mostrados na exposição Exército 2017 os observadores norte-americanos destacaram os sistemas de guerra eletrônica Vitebsk, Krasukha-4 e Moskva-1, informa o Rossiyskaya Gazeta.

    Os dois últimos sistemas se baseiam em princípios absolutamente novos. Hoje em dia, estes equipamentos não precisam de antenas especiais para criar interferências. As tecnologias avançadas permitem criar uma cópia do sinal que deve ser suprimido, e depois, criar o seu próprio sinal. 

    O sinal alterado regressa ao adversário e torna o comando das armas praticamente impossível, tal fenômeno foi batizado de interferências não energéticas, informa o The National Interest, citado pelo Rossiyskaya Gazeta.

    Alguns sistemas possuem pequeno alcance operacional e protegem os aviões, as tropas e os navios das ameaças externas. Outros neutralizam explosivos dirigidos por rádio. Outros ainda, como por exemplo o sistema Moskva, operam a distâncias de até 400 km. 

    A informação fornecida pelo Moskva é útil para os sistemas de mísseis S-400, que possuem o mesmo alcance. Os S-400 captam o alvo aéreo e estabelecem as suas coordenadas, enquanto o Moskva detecta o tipo de alvo, facilitando a intercepção. 

    ​O sistema Krasukha-4 é utilizado para proteger postos de comando, tropas e instalações administrativas dos meios de reconhecimento, bem como no caso de agressão direta. O sistema é capaz de neutralizar o funcionamento dos radares terrestres e instalados em aviões, os sistemas de direção de bombas e mísseis, criar interferências para os drones e até para os satélites do inimigo. 

    O sistema Vitebsk é destinado a proteger os helicópteros dos mísseis terra-ar e opera em curtas distâncias. O sistema contém goniômetros que monitoram os mísseis, sistemas de interferências ativas e um dispositivo para criar alvos falsos. 

    "Os EUA não avançam aos ritmos correspondentes às ameaças enfrentadas no desenvolvimento dos meios de guerra radioeletrônica", disse o tenente-general norte-americano Edward Cardon. 

    Nos últimos anos uma série de militares norte-americanos reconheceu a supremacia da Rússia no domínio de meios de guerra eletrônica. As operações na Síria permitiram constatar esta supremacia. 

    Mais:

    'Abafar' os S-300? The National Interest explica estratégia de guerra eletrônica dos EUA
    Este sistema original de guerra eletrônica russo não tem análogos no mundo (FOTOS)
    Tags:
    opinião, defesa, desenvolvimento, tecnologias, capacidade militar, guerra eletrônica, Moskva, Krasukha, The National Interest, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar