02:33 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Fotografia de um agente da CIA de um míssil com ogiva nuclear R-12 de médio alcance durante a parada militar na Praça Vermelha em Moscou

    Revelado um dos segredos mais bem guardados da URSS sobre a Crise do Caribe

    CC0 / Central Intelligence Agency / Soviet-R-12-nuclear-ballistic missile
    Rússia
    URL curta
    41196

    O Ministério da Defesa da Rússia publicou pela primeira vez dados sobre as perdas humanas durante a fase crítica da crise dos mísseis de Cuba entre 1962 e 1964.

    "Segundo dados do Ministério da Defesa da Rússia, desde 1 de agosto de 1962 até 16 de agosto de 1964, morreram em Cuba 64 cidadãos soviéticos", revela o comunicado.

    Estes são os primeiros dados oficiais sobre perdas soviéticas sofridas nesse conflito.

    O prédio do Ministério das Finanças da Rússia
    © Sputnik/ Sergei Pyatakov
    O comunicado coincide com o 55º aniversário do fornecimento dos primeiros mísseis balísticos soviéticos a Cuba e foi publicado no site oficial do ministério. Essa operação foi a resposta ao deslocamento de mísseis norte-americanos para a Turquia e Itália, bem como à ameaça de intervenção militar em Cuba.

    Segundo explica o ministério russo, há 55 anos, em 9 de setembro de 1962, a União Soviética transferiu os primeiros mísseis balísticos para Cuba, no âmbito da operação Anadyr. Em seguida, as autoridades soviéticas adicionaram ogivas nucleares.

    Mais:

    Polônia acusa URSS de iniciar a Segunda Guerra Mundial
    7 ambiciosos projetos da URSS que caíram no esquecimento (FOTOS, VÍDEOS)
    Putin explica por que colapso da URSS foi o maior desastre do século XX
    Rússia iguala a URSS em intensidade de missões submarinas
    Tags:
    mísseis balísticos intercontinentais, crise dos mísseis em Cuba, ogivas nucleares, mortos, represália, Ministério da Defesa (Rússia), Caribe, URSS, Cuba, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik