12:13 20 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Newsweek Journalist Claims US Intelligence Fed Him False Putin-Trump Conspiracy

    Newsweek diz que Rússia arquitetou ataque terrorista na maratona de Boston em 2013

    © flickr.com/ Mathieu Thouvenin
    Rússia
    URL curta
    19018

    A publicação on-line Newsweek aumentou o acervo de apurações "explosivas", sugerindo que os irmãos Tsarnaev, responsáveis ​​pelo ataque terrorista da maratona de Boston 2013, estavam operando por ordens de autoridades de Moscou.

    Na realidade, os serviços de segurança russos enviaram avisos para múltiplas agências dos EUA, explicando que o checheno-americano Tamerlan Tsarnaev "mudou drasticamente desde 2010" e que ele e sua mãe eram adeptos do "Islã radical" muito antes do ataque de Boston.

    "Os russos estavam preocupados que mãe e filho fossem crentes muito religiosos e fortes, e poderiam ser militantes se retornassem à Rússia", disse um funcionário dos EUA ao jornal The New York Times na época do ataque, em 2013.

    O site, porém, desconsiderou que as agências de segurança russas avisaram ao FBI e à CIA que Tamerlan Tsarnaev e sua mãe apresentavam riscos de segurança iminentes. O autor do artigo, Andrei Kovalev, vai além e culpa os russos por uma série de outros problemas como o voto pelo Brexit no Reino Unido, a crise de refugiados sírios na Europa e a onda de políticos de extrema-direita no mundo. "A Rússia deve aceitar uma parcela de responsabilidade" em todos esses eventos, afirma Kovalev no artigo publicado no último dia 3.

    Kovalev trabalhou como diplomata na União Soviética sob Mikhail Gorbachev, bem como para os presidentes russos Boris Yeltsin e Vladimir Putin. "Às vezes, eu sou censurado por atribuir ao Kremlin muita influência no mundo", ele confessou no artigo.

    Quanto aos atentados de Boston, ele pergunta: "Os emigrantes, os irmãos Tsarnaev, de nacionalidade chechena, responsáveis ​​pelo ataque de Boston, agem por sua própria iniciativa? Parece muito improvável".

    Os leitores da Newsweek rapidamente apontaram que a afirmação de que a Rússia havia orquestrado o ataque terrorista da Maratona de Boston originou-se com Louise Mensch, ex-membro do Parlamento do Reino Unido famosa por classificar qualquer crítico como "espião russo". Mensch foi recentemente desmascarada pelo jornal The Guardian por espalhar notícias falsas da agenda "A Rússia está por trás de tudo isso". O programa da Rádio Sputnik na versão em inglês, Fault's Line, recebeu recentemente o apresentador da tradicional rádio americana WPFW, Garland Nixon. Às risadas, Nixon brincou que "no mundo de Mensch, a morte de todo mundo está relacionada a Vladimir Putin". 

    ​Quando confrontado com acusações de propagação de informações deletérias e falsas, Mensch disse que também o The Guardian estava sendo operado por espiões da agência de segurança russa. A ex-deputada alegou que uma de seus colaboradoras, Claude Taylor, tinha sido enganada, mas que a afirmação quanto ao atendado de Boston é verdadeiro.

    Histórico

    Essa não é a primeira vez em que a Newsweek faz suposições controversas quanto à Rússia, embora tenha sido responsabilizada judicialmente pela falta de precisão. Em julho, após uma batalha judicial iniciada por um ex-redator da Sputnik, William Moran, o portal apagou dois artigos caluniosos que falavam de um suposto conluio entre a agência de notícias e a campanha de Trump. Embora recém-formado em Direito, Moran venceu a Newsweek que era representada pela Pepper Hamilton, uma das maiores empresas de advocacia do mundo.

    Tags:
    Brexit, Atentado à Maratona de Boston de 2013, WPFW, Pepper Hamilton, Parlamento do Reino Unido, Rádio Sputnik, The New York Times, Kremlin, FBI, The Guardian, CIA, Andrei Kovalev, Garland Nixon, Louise Mensch, Tamerlan Tsarnaev, Donald Trump, Boris Yeltsin, Mikhail Gorbachev, Vladimir Putin, União Soviética, Boston, Chechênia, Reino Unido, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik