01:52 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Os militares bielorrussos durante as manobras Zapad (archivo)

    'Não precisamos nos desculpar por exercícios com a Rússia', diz presidente da Bielorrússia

    © Sputnik / Igor Zarembo
    Rússia
    URL curta
    Manobras perto da fronteira ocidental da Rússia (36)
    19252

    O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, disse que seu país não precisa se justificar por hospedar os próximos exercícios militares conjuntos com a Rússia, o Zapad 2017, que provocaram uma reação negativa dos estados da OTAN, insistindo e insiste que observadores estrangeiros acompanharão o evento.

    "Não estamos planejando atacar ninguém. Em termos de como serão as manobras — convidamos quase todos os que quiserem participar. Deixe-os vir e assistir", afirmou Lukashenko em uma reunião com funcionários de segurança dedicados aos exercícios, que acontecerão entre os dias 14 e 20 de setembro.

    A OTAN, a ONU, a OSCE e outros países foram convidados a acompanhar uma parte ou todos os exercícios.

    "Eu também quero avisá-los: parem de pedir desculpas por esses exercícios defensivos. Se o grupo de forças regionais russo-bielorrusso existe — e sua existência não é um segredo —, então devemos ensiná-lo a fazer guerra. Por precaução", disse Lukashenko aos seus generais.

    Os exercícios envolverão 13 mil soldados, 70 aeronaves e quase 700 veículos terrestres, e ocorrerão predominantemente na Bielorrússia e em três faixas de testes russas.

    "O Zapad 2017 é a manobra militar mais importante realizada pelo Exército neste ano. Os preparativos deles estão entrando na fase final", disse o ministro russo da Defesa, Sergei Shoigu, durante uma entrevista coletiva em Moscou, observando que 18 exercícios separados foram conduzidos pelo exército russo desde maio.

    Críticas

    A Polônia expressou "dúvidas e medos" sobre os exercícios, alegando que a Rússia poderia usar mais do que o número declarado de tropas, e que elas poderiam maquiar um possível deslocamento permanente de equipamentos ofensivos para o oeste da fronteira da Bielorrússia com a OTAN.

    A Ucrânia também implantou forças adicionais em sua fronteira com a Rússia e com a Bielorrússia antes dos exercícios. Houve até especulações em Kiev de que as manobras seriam precursoras de uma invasão em grande escala.

    "Infelizmente, os estados vizinhos estão tomando medidas inadequadas, e isso está contribuindo para o aumento das tensões", disse Stanislav Zas, secretário do Conselho de Segurança da Bielorrússia, aos jornalistas em Minsk na terça-feira. "Eu acho que esses exercícios serão realizados com sucesso e sem incidentes, e toda a histeria será esquecida".

    A Rússia também enfatizou anteriormente que as manobras são de "uma natureza estritamente defensiva".

    Tema:
    Manobras perto da fronteira ocidental da Rússia (36)

    Mais:

    Firmeza inabalável: Ucrânia realizará manobras para se proteger dos exercícios Zapad 2017
    Embaixador da Letônia sobre manobras Zapad 2017: 'não temos que ficar histéricos'
    Polônia decide de forma histérica fechar céu por causa dos exercícios Zapad 2017
    Tags:
    manobras, exercícios militares, diplomacia, Zapad 2017, OTAN, ONU, OSCE, Stanislav Zas, Sergei Shoigu, Aleksander Lukashenko, Bielorrússia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik