02:24 26 Maio 2019
Ouvir Rádio
    President Vladimir Putin and President of Abkhazia Raul Khadjimba, right, during a news conference following talks, August 8, 2017.

    OTAN critica visita de Putin à região separatista da Geórgia

    © Sputnik / Alexei Druzhinin
    Rússia
    URL curta
    20315

    O presidente russo, Vladimir Putin, visitou a Abkházia no dia 8 de agosto, provocando a ira dos líderes ocidentais. Um porta-voz da OTAN disse que a visita foi "prejudicial" para os esforços para encontrar uma saída "pacífica e negociada" para o conflito na região.

    No decorrer da viagem, o presidente Putin assegurou ao líder da nova república, Raul Khadjimba, o apoio contínuo de Moscou à independência da região e anunciou a criação de um contingente militar russo-abkházio conjunto para garantir a segurança do país.

    "O mais importante é que temos relações inteiramente especiais. Nós garantimos de forma confiável a segurança, a auto-suficiência e a independência da Abkházia. Estou certo de que continuará sendo o caso", disse ele na reunião.

    A visita coincidiu com o aniversário da guerra russo-georgiana de 2008, um conflito instigado pela Geórgia contra a Ossétia do Sul e a Abkházia, em que as tropas russas foram enviadas para a região para proteger os habitantes dos dois países "separatistas". Moscou reconheceu a independência em agosto daquele ano, um movimento criticado pela comunidade internacional.

    As duas regiões ganhara, independência efetiva da Geórgia na sequência do colapso da União Soviética em 1991 — as tensões étnicas entre a Geórgia e a minoria da Abkházia culminaram em uma guerra de 1992-1993, o que resultou na perda de controle georgiano nos locais.

    Embora condenado pela OTAN, Putin visitou a Abkhásia apenas uma semana depois do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, viajar à capital georgiana Tbilisi oferecendo forte afirmação apoio "à soberania do país" e a oposição de Donald Trump a "qualquer reivindicação [territorial] a qualquer momento por qualquer nação".

    Líderes ocidentais mantém estreita colaboração com a Geórgia e o país tem sido um aliado ativo dos EUA fora da OTAN, contribuindo com milhares de tropas para missões de manutenção da paz no Afeganistão, na África, nos Balcãs e no Iraque. 

    Mais:

    'Sangue que Geórgia derramou em Ossétia foi o ponto sem retorno'
    Será que Ossétia do Sul se unirá à Rússia?
    Uma preocupação a mais da OTAN em relação à Rússia
    Qual foi 'o erro mais crasso' da política externa americana em relação à Rússia?
    Tags:
    OTAN, Raul Khadjimba, Mike Pence, Donald Trump, Vladimir Putin, Balcãs, Abkházia, Ossétia do Sul, Tbilisi, Geórgia, África, Iraque, Afeganistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar