01:59 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin, presidente da Rússia, responde às perguntas dos jornalistas internacionais por ocasião da abertura do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo 2017, 1 de junho de 2017

    Putin: tentativas de conter a Rússia não funcionam

    © Sputnik / Aleksei Druzhinin
    Rússia
    URL curta
    Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (19)
    18432
    Nos siga no

    Falando com os jornalistas por ocasião da abertura do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF), o presidente da Rússia Vladimir Putin declarou que a Rússia luta por seus legítimos interesses nacionais mas todos tentam conter o país.

    No entanto, afirmou Putin, estas tentativas não funcionam e têm "eficiência nula", o que provoca ainda mais o agravamento e a irritação dos países que o tentam alcançar.

    Falando da crise coreana, Putin destacou que Washington usará qualquer argumento para continuar ampliando o seu escudo antimíssil, mas que Rússia não ficará de braços cruzados perante isso.

    "Se amanhã a Coreia do Norte declarar que suspende todos seus testes nucleares, a implantação dos sistemas de defesa antimíssil pelos EUA vai continuar com qualquer outro pretexto, ou, sem ele, o que está acontecendo agora na Europa. E claro que nós temos que pensar sobre isso", disse ele.

    O presidente russo afirmou que o país está estudando a forma de ultrapassar o problema dos sistemas antimíssil.

    "Estamos pensando o tempo todo como podemos responder [à ampliação do escudo antimíssil dos EUA]. Estamos considerando aperfeiçoar o sistema de superação dos sistemas de defesa antimíssil", destacou Putin.

    Se referindo às Ilhas Curilas, ele indicou que a Rússia está desenvolvendo esforços para garantir a segurança e fazer frente às ameaças nos territórios mais afastados do país, sendo estas ilhas um bom local para isso, sublinhando que não foi a Rússia que iniciou o aumento do potencial militar.

    O presidente russo não excluiu a possibilidade de, caso as Ilhas Curilas fizessem parte do Japão, os Estados Unidos poderem implementar suas tropas lá.No entanto, Putin acrescentou que a Rússia não tem intenção de agravar as relações com os EUA.

    "Não pretendemos piorar as relações com os Estados Unidos. Não temos medo de nada. Mas estamos vendo o que está acontecendo lá, toda essa campanha antirrussa, a russofobia. Nós não sabemos como esta situação vai se desenvolver", disse o presidente russo.

    Para além das relações entre Moscou e Washington, foi colocada a questão sobre a relação de Putin com os candidatos à liderança da Alemanha.

    Putin disse que não apoia nenhum dos candidatos à presidência na Alemanha nas próximas eleições. Ele acrescentou que para ele e sua equipa "é igual com quem trabalhar" e que o mais importante é que "eles visem uma cooperação construtiva". O presidente expressou a confiança que a Rússia e a Alemanha vão continuar a cooperar depois das eleições.

    Também surgiu o assunto dos hackers russos e, a esse respeito, Putin disse que na Rússia esta atividade não é apoiada ao nível do Governo, acrescentando que nenhum hacker pode influenciar os resultados das eleições.

    O Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF) é uma plataforma que reúne os líderes das potências econômicas emergentes e representantes de diversas organizações para identificar e deliberar sobre os desafios mais importantes com os quais a Rússia, os mercados em desenvolvimento e o mundo em geral se deparam. Ao mesmo tempo, o encontro visa estimular as comunidades e países a buscar objetivos em comum e a estabelecer estratégias para encontrar soluções que levem ao crescimento e à estabilidade.

    O evento é realizado anualmente desde 1997 e, a partir de 2006, conta com o patrocínio e a participação do presidente da Federação da Rússia. É considerado um importante palco de diálogo entre a Rússia e a comunidade internacional, sendo aproveitado ainda para a realização de encontros bilaterais no mais alto nível e reuniões de empresários de países dos BRICS ou do G20. A agência internacional de notícias Rossiya Segodnya é o parceiro informativo oficial do fórum.

    Tema:
    Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (19)

    Mais:

    Pentágono: guerra com a Coreia do Norte seria um desastre, inclusive para China e Rússia
    Pyongyang acusa EUA de impedir cooperação entre Rússia e Coreia do Norte
    Descrente com Rússia e China, Japão prepara pacote próprio de sanções à Coreia do Norte
    Japão quer, finalmente, assinar acordo de paz com a Rússia
    Tags:
    segurança nacional, cooperação, SPIEF 2017, Vladimir Putin, São Petersburgo, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar