00:30 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Bandeiras dos EUA e da OTAN na base aérea militar em Siauliai, Lituânia, 27 de abril de 2017

    MRE: Iniciativas da OTAN perto da Rússia levam ao perigoso reforço da corrida armamentista

    © REUTERS / Ints Kalnins
    Rússia
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    A expansão militar da OTAN perto da Rússia leva ao reforço perigoso da corrida aos armamentos, comunicou o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

    "Consideramos as tentativas de desprezar o Ato Fundador como perigosas e contraditoras aos interesses dos países-membros da OTAN. Vemos nisso a intenção da Aliança de legitimar deslocamentos militares perto das fronteiras da Rússia que, juntamente com a atividade militar dos países do bloco, alteram o equilíbrio de poderes na Europa e levam ao reforço perigoso da corrida armamentista", diz o comunicado, publicado no site do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

    Segundo o ministério, as medidas tomadas para reforçar o "flanco oriental", a presença militar e a infraestrutura da OTAN em áreas perto das fronteiras russas violam o regulamento do Ato Fundador, primeiramente porque a organização tem como obrigação "realizar a sua defesa coletiva e outros objetivos através das garantias de compatibilidade, integração e potencial do reforço e não através do deslocamento adicional de forças".

    Moscou também sugeriu que a OTAN pare de tentar estruturar as relações com a Rússia através de esquemas e mecanismos da época de confronto. 

    Mais anteriormente, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, frisou que os países-membros da OTAN possuem uma única posição em relação à Rússia.

    Mais:

    Secretário-geral: OTAN se fortalece para enfrentar a Rússia
    Trump: OTAN deverá se focar em combater terrorismo, migração e ameaças da Rússia
    Tags:
    comunicado, deslocamento, presença militar, reforço, tensão, relações, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, OTAN, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar