03:17 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    371
    Nos siga no

    Uma equipe de cientistas da Universidade Politécnica de Tomsk (TPU) criou um remédio para uma doença altamente letal e contagiosa do camarão que poderia economizar milhões a agricultores. Injeções de nanopartículas de prata foram testadas com sucesso no México, onde a epidemia de camarão tem sido um grande problema por vários anos.

    A droga desenvolvida por químicos russos foi usada para tratar o vírus da síndrome da mancha branca em camarões, informou o serviço de imprensa universitário. Em todo o mundo, surtos desta doença têm varrido populações inteiras em muitas fazendas de camarão em questão de dias. A epidemia afeta o México há vários anos e todas as tentativas de curar a doença foram frustradas até o momento.

    Uma fazenda no México foi usada nos experimentos da nova cura russa. No início, vários jovens camarões infectados receberam injeções com o medicamento. Apenas 96 horas depois, a sobrevivência do camarão foi superior a 90%.

    Os cientistas passaram então a testar um grupo maior de camarões jovens. As cobaias infectadas foram divididas em subgrupos, algumas das quais recebendo a droga. Quatro dias depois, 80% dos camarões tratados com a droga sobreviveram e começaram a recuperar. Entretanto, a taxa de sobrevivência de indivíduos não tratados foi de apenas 10%, de acordo com um estudo publicado na revista Chemosphere.

    A droga é chamada "Argovit" e tem um efeito destrutivo universal sobre vírus, bactérias e fungos. O novo tratamento já foi testado em mais de 25 tipos de doenças. Medicamentos baseados em Argovit foram certificados e são usados ​​hoje em medicina veterinária para tratar uma variedade de doenças virais e bacterianas em bovinos e animais de estimação.

    Os cientistas agora planejam direcionar o foco da pesquisa para o desenvolvimento da droga para seres humanos.

    Mais:

    A cura da cegueira está próxima, afirmam cientistas russos
    Cientistas russos criam fragmento de cérebro eletrônico
    Cientistas russos estão desenvolvendo relógio atômico mais preciso do mundo
    Tags:
    Argovit, Chemosphere, Universidade Politécnica de Tomsk, Rússia, México
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar