16:33 21 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Forças de segurança afegãs envolvidas na operação contra o Daesh em 14 de abril de 2017, um dia após EUA terem lançado sua bomba mais poderosa não nuclear

    Opinião: 'superbomba' norte-americana no Afeganistão é aviso para Rússia

    © AFP 2017/ NOORULLAH SHIRZADA
    Rússia
    URL curta
    Lançamento da maior bomba dos EUA (15)
    423778183

    A bomba poderosa usada pelos EUA no Afeganistão, bem como os ataques à base aérea síria de Shayrat, são um aviso para a Rússia. Os norte-americanos querem que as autoridades russas mudem sua política, declarou o vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Conselho da Federação da Rússia, Frants Klintsevich.

    Na quinta-feira (13), os EUA lançaram uma bomba termobárica (MOAB, acrónimo em inglês de Massive Ordnance Air Blast), a bomba mais poderosa não-nuclear GBU-43B sobre os terroristas do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia) na província de Nangarhar, perto da fronteira com o Paquistão. O lançamento da bomba, de cerca de 9,5 toneladas, foi feito a partir da aeronave MC-130.

    Segundo a informação divulgada, os EUA possuem 15 bombas destas. Washington afirmou que o ataque visou o sistema de túneis do Daesh e demonstra a intenção da Administração Trump de cumprir as promessas de eliminar o grupo terrorista.

    "Em minha opinião, o uso da bomba mais poderosa não-nuclear no Afeganistão deve ser visto no âmbito da estratégia política e militar comum perseguida pelos EUA após a tomada de posse de Donald Trump. Acredito que essa ação está ligada ao ataque à base aérea síria. De fato, ambos os casos são uma demonstração de poder e ambas as ‘demonstrações' têm um único destinatário — a Rússia", explicou o senador.

    Frants Klintsevich sublinhou que, se os EUA pensam que com tais ações farão a Rússia mudar sua política conforme eles querem, estão "profundamente enganados".

    "Os norte-americanos precisam parar. Pois é muito provável que as tentativas de incluir a Coreia do Norte nessa linha resultem em consequências imprevisíveis", concluiu.

    Tema:
    Lançamento da maior bomba dos EUA (15)

    Mais:

    EUA bombardearam túneis no Afeganistão construídos com seu próprio dinheiro
    'Mãe de Todas as Bombas' matou 36 terroristas no Afeganistão
    EUA avaliam os efeitos da 'Mãe de Todas as Bombas' no Afeganistão
    Trump recusa-se a confirmar autorização para uso de bomba gigante no Afeganistão
    Tags:
    ataque a bomba, lançamento, aviso, túneis, bomba, GBU-43, Daesh, Conselho da Federação Russa, Frans Klintsevich, Síria, Shayrat, Afeganistão, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik