07:48 31 Março 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    14251
    Nos siga no

    Moscou não vai trocar a Crimeia pela remoção de sanções ocidentais, afirmou Valentina Matvienko, porta-voz da Casa Alta, em meio a relatos estrangeiros de um possível acordo de troca.

    "Recentemente, alguns meios de comunicação estrangeiros têm espalhado rumores sobre um acordo entre a Rússia e o Ocidente sobre a Criméia em troca do levantamento das sanções. Esta é uma fabricação completa", Matvienko postou em seu blog no site do Conselho da Federação.

    Matvienko observou que a postura de alguns parceiros estrangeiros sobre a questão da Crimeia mudou de rejeição para uma tentativa de descobrir o que realmente aconteceu, ressaltando que a visita feita por legisladores franceses à península em 2015 e 2016 contribuiu para essa mudança.

    Ela também enfatizou que é inevitável que os resultados do referendo, realizado na Crimeia em março de 2014, tenham reconhecimento internacional. O referendo aconteceu um mês depois que o golpe de Estado na Ucrânia em 2014 e Kiev ainda considera a Crimeia parte da Ucrânia, apesar do fato de que a esmagadora maioria da população, 96,77%, votou para se juntar à Rússia.

    Após a reunificação da Rússia e da Crimeia, Bruxelas e Washington impuseram várias sanções à Rússia sobre a suposta intromissão do Estado no conflito ucraniano, apesar do fato de que a Rússia tem repetidamente refutado as alegações. Na quinta-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que qualquer acordo na Crimeia em troca do cancelamento das sanções ocidentais estava "fora da mesa" quando questionado sobre essa possibilidade.

    Mais:

    Era uma vez... Crimeia depois de três anos com Rússia
    A Crimeia em debate, 3 anos após reintegrada à Rússia
    EUA demandam da Rússia devolução 'imediata' da Crimeia à Ucrânia
    E se Crimeia tivesse continuado com Ucrânia? Líder da península pinta cenário apocalíptico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar