08:45 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    831
    Nos siga no

    O tribunal da província de Tartu, na Estônia, negou a liberdade condicional para um ex-chefe do departamento de segurança do Ministério da Defesa da Estônia, Herman Simm, condenado a 12 anos e 6 meses de prisão por espionagem em nome da Rússia.

    Simm supostamente se tornou uma pessoa de contato para o Comitê de Segurança do Estado da URSS em 1980. Os investigadores descobriram que Simm, que serviu como chefe do departamento de segurança do Ministério da Defesa da Estônia em 2000-2006, entregou cerca de 3.300 documentos secretos ao Serviço de Inteligência Estrangeira da Rússia.

    "O tribunal considera que, embora o risco de Simm cometer um novo crime seja baixo, não é possível libertá-lo em condicional devido a razões preventivas gerais, porque ele cometeu um crime muito grave", dizia a declaração.

    Em 2009, Simm se declarou culpado de traição e já cumpriu mais de metade de sua sentença, que termina em março de 2021.

    Mais:

    Estônia entra em pânico com a 'propaganda' russa
    Presidentes da Lituânia e Estônia compartilham da mesma opinião sobre Rússia
    Estônia prepara sua população para a guerra
    Tags:
    Serviço de Inteligência Estrangeira da Rússia, Comitê de Segurança de Estado da URSS, Tartu, Estônia, URSS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar