11:58 26 Março 2017
Ouvir Rádio
    Estrela de rubi de uma das torres da fortaleza do Kremlin. Ao fundo, Grande palácio do Kremlin (foto de arquivo)

    Precisa se acalmar: Moscou resfria cabeças quentes de Washington

    © Sputnik/ Aleksei Druzhinin/Anton Denisov/Serviço de imprensa do presidente russo
    Rússia
    URL curta
    241871201

    Praticamente todos os jogadores no Oriente Médio reconheceram que o problema do terrorismo não pode ser resolvido sem Moscou, enquanto tentativas de falar com Moscou a partir de uma posição de força estão condenadas ao fracasso.

    "Rússia está pronta a desenvolver relações com os EUA e reestabelecer a cooperação com o Pentágono. Mas as tentativas de manter um diálogo a partir de posição de força são inúteis. Isso foi dito por Sergei Shoigu (ministro da Defesa da Rússia)", comunicou o colaborador do serviço russo da rádio Sputnik Ilia Kharlamov.

    Segundo Shoigu, a Rússia tem uma visão realista e já tinha dado recomendações aos seus diplomatas como responder se alguém tentar falar a partir da posição de força. Segundo Kharlamov, foi assim que Shoigu respondeu às declarações de políticos norte-americanos, como aconteceu, por exemplo, durante a cúpula da OTAN, quando o chefe do Pentágono James Mattis anunciou sua intenção de falar com a Rússia a partir dessa mesma posição de força.

    "Infelizmente, a 'locomotiva político-militar' de Washington, que recentemente parecia querer seguir uma rota alternativa (se trata do discurso político), regressou à habitual política antirrussa", adiantou Kharlamov, acrescentando que os EUA estão mobilizando os seus parceiros da OTAN para essa tendência destrutiva.

    Kharlamov lembrou as palavras de Putin que a "contenção da Rússia" foi oficialmente anunciada como a missão da organização (OTAN). É por isso que ela está se expandindo, inventando novas versões da chamada "agressão russa".

    "O novo-velho discurso de Washington está desaprovando postulados anunciados por Trump antes das eleições, que tinha prometido se ‘entender’ com a Rússia e lutar em conjunto contra o terrorismo islâmico radical", referiu Kharlamov, acrescentando que a Rússia está disposta a cooperar, mas só se baseando no princípio de igualdade de direitos.

    Entretanto, segundo ele, Washington não percebe isso e está limitando a possibilidade de cooperação com tais declarações de seus políticos.

    "Praticamente todos os jogadores no Oriente Médio reconheceram que o problema do terrorismo não pode ser resolvido sem a Rússia", frisa Kharlamov.

    Para finalizar, ele acrescentou que o diálogo com a Rússia a partir da "posição de força" está condenado ao fracasso e isso adia a realização do programa pré-eleitoral de Trump, que necessita agora de sucessos rápidos.

    Mais:

    Chefes militares da Rússia e dos EUA têm encontro marcado: sobre o que falarão?
    Porretes nucleares estão outra vez na moda: EUA estudam esquemas para combater a Rússia
    Tags:
    diálogo, declaração, força, posição, opinião, cooperação, política, relações, OTAN, Kremlin, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik

    Todos os comentários

    • avatar
      smbsalgado
      Caríssima PATRIÓTICA/SOBERANÍSSIMA/VALENTÍSSIMA/ . . . RÚSSIA responda aos metidos a valentões do Pentágono que Meia-Duzias (6) de TZAR's / 100 MEGATONS na __eUSropa__ , acalmarão qualquer Valentão da OTAN/exército ANGLO-SIONISTA a se atreverem a INVADIR o solo PÁTRIO da MÃE RÚSSIA.
    Mostrar comentários novos (0)