07:32 19 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    10161
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia lembrou aos cidadãos russos que existe uma ameaça real de serem detidos ou presos em terceiros países por exigência dos serviços secretos dos EUA.

    O documento, publicado no site oficial da Chancelaria russa diz que Moscou "confirma de novo que há ameaça real de [os cidadãos russos] serem detidos ou presos em terceiros países por exigência dos serviços secretos e órgãos de segurança dos EUA".

    "Apesar de nossos reiterados apelos para estabelecer a cooperação entre os órgãos competentes da Rússia e dos EUA na base de Acordo sobre Assistência Jurídica Mútua em Matéria Penal de 1999, até hoje continuam sendo registrados casos de ‘caça' aos russos em todo o mundo. O número de tais incidentes excede as três dezenas. Em 2016, foram extraditados quatro cidadãos russos para os EUA: Senakh, Sergeev e Serov da Finlândia e Vartanyan da Noruega. Quanto aos últimos casos, podemos referir Stanislav Lisov, que foi extraditado da Espanha", diz o comunicado.

    O programador russo Stanislav Lisov, detido na Espanha em 13 de janeiro deste ano, permanecerá na prisão até que a corte tome uma decisão relativa ao pedido extradição para os EUA.

    Mais:

    Putin sobre expansionismo da OTAN: 'Rússia está sendo constantemente provocada'
    Deputado russo: OTAN usa Crimeia como pretexto para 'extrair' dinheiro da Europa
    Mídia: Inteligência dos EUA não revela dados confidenciais a Trump
    Moscou: 'Rússia disposta a cooperar com EUA, mas diálogo de força não tem futuro'
    Tags:
    detenção, caça, cidadãos russos, relações, extradição, serviços secretos, inteligência, CIA, Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Noruega, Finlândia, Espanha, EUA, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar