20:14 18 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Ministro das Relações Exteriores da Rússia Sergei Lavrov durante uma coletiva de imprensa

    Chanceler russo: Rússia não deixará sem resposta as sanções dos EUA

    © Sputnik / Maksim Blinov
    Rússia
    URL curta
    30271

    O ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov informou na sexta-feira (30) que Moscou não deixará sem resposta as sanções impostas na véspera pelos EUA.

    Lavrov anunciou que a chancelaria russa propõe ao presidente Vladimir Putin expulsar da Rússia 31 diplomatas da Embaixada dos EUA e quatro funcionários do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Petersburgo.

    O ministro russo espera que as medidas propostas em resposta às sanções sejam analisadas o mais rápido possível.

    "Claro que nós não poderemos deixar sem resposta tais brincadeiras, a reciprocidade é a lei da diplomacia nas relações internacionais, por isso a chancelaria russa, juntamente com os nossos colegas de outros ministérios, apresentou propostas a serem analisadas pelo presidente da Rússia, para declarar persona non grata 31 funcionários da Embaixada dos EUA em Moscou e quatro diplomatas do Consulado Geral dos EUA em São Petersburgo", informou Lavrov.

    O ministro russo fez lembrar que os EUA impuseram sanções contra o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB), além de uma série de instituições e pessoas físicas russas. As sanções também abrangem 35 diplomatas russos, que deverão abandonar o território dos EUA até o final do dia 1 de janeiro.

    "Além disso, fomos proibidos de usar bens que são propriedade estatal da Federação da Rússia. Se trata da casa de campo para descanso dos nossos funcionários da Embaixada em Washington e da segunda casa de campo para descanso dos funcionários do Escritório da Representação Permanente da Rússia junto à ONU", destacou Lavrov.

    "A conduta dos nossos colegas é bem evidente, em ambos os casos as casas de campo eram destinadas às férias de inverno dos filhos (dos funcionários), tradicionalmente lá são organizados acampamentos infantis. Mas estas casas de campo são declaradas ninhos de espiões", ressaltou o chanceler russo.

    Neste contexto, segundo o ministro, e em resposta às medidas antirussas, o Ministério das Relações Exteriores russo propõe proibir aos diplomatas americanos usar a sua casa de campo no parque Serebryany Bor em Moscou e o armazém na rua Dorozhnaya.

    Lavrov qualificou de infundadas as acusações dos EUA dirigidas contra a Rússia sobre a interferência na campanha eleitoral nesse país.

    "A administração americana cessante de Barack Obama, acusando a Rússia de todos os pecados mortais e tentando culpar-nos do fracasso das suas iniciativas da política externa, como vocês sabem, apresentou novas acusações de que a parte russa, a nível estatal, interferiu na campanha eleitoral dos EUA que resultou na derrota da candidata democrata", ressaltou o ministro.

    Na quinta-feira (29) os EUA introduziram novas sanções contra Moscou devido a alegados ciberataques levados a cabo durante as eleições presidenciais. Além disso, a Casa Branca também decidiu expulsar 35 diplomatas russos dos EUA, informando que eles terão no máximo 72 horas para deixar o país.

    Mais:

    EUA impõem sanções contra Rússia por supostos ciberataques nas eleições
    ‘É hora de cuidarmos das nossas vidas', diz Trump ao comentar sanções contra Rússia
    Tags:
    medidas, acusação, sanções, diplomatas, Consulado Geral dos EUA, Embaixada da Rússia, Embaixada dos EUA, Serviço Federal de Segurança (FSB), ONU, Casa Branca, Barack Obama, Vladimir Putin, Sergei Lavrov, Moscou, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik