13:13 11 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, após a reunião que mantiveram em Istambul

    Se Turquia sair da OTAN, Rússia vai beneficiar

    © Sputnik/ Sergey Guneev
    Rússia
    URL curta
    15270

    A cooperação ativa entre Ancara e Moscou preocupa o Ocidente porque o desenvolvimento futuro das relações entre os dois países poderá resultar na saída da Turquia da OTAN e significar um enorme sucesso da política externa da Rússia, escreve o Frankfurter Allgemeine Zeitung.

    A correlação de forças no Oriente Médio mudou de novo após a Rússia, Turquia e Irã terem chegado a acordo de que o problema da Síria não tem uma "solução militar". Esse evento tornou-se não só um "momento de viragem" no conflito, mas também demonstrou a disponibilidade do presidente da Turquia Recep Tayyip Erdogan de moderar as suas ambições na região em prol de fortalecimento dos laços com a Rússia, aponta a edição.

    A reconciliação entre Moscou e Ancara era algo difícil de imaginar porque as relações bilaterais estavam, de fato, "congeladas" após o abate do avião militar russo pela Força Aérea da Turquia no espaço aéreo da Síria em 24 de novembro de 2015. No entanto, Erdogan tentou, durante longo tempo, encontrar uma forma de se reconciliar com a Rússia. Em junho, ele pediu desculpas pela derrubada do avião Su —24, tendo posteriormente sublinhado a sua disponibilidade para restabelecer as relações amigáveis entre os dois países. Após a tentativa de golpe de Estado na Turquia, não tendo recebido apoio suficiente do Ocidente, Erdogan mudou decisivamente a orientação da sua política externa para o Oriente, frisa o autor do artigo.

    Agora a colaboração entre Moscou e Ancara está se desenvolvendo rapidamente. Erdogan mostrou interesse nos sistemas russos de defesa antimíssil e Moscou cancelou o embargo aplicado aos produtos alimentares turcos. Para além disso, a Rússia deixou de desaconselhar as viagens dos seus turistas à Turquia. Em outubro, os países anunciaram a construção do gasoduto Corrente Turca; em novembro, Erdogan afirmou que a Turquia não deve se concentrar só na União Europeia e que é necessário cooperar com a China e a Rússia, diz a edição.

    Em resumo, para Moscou tudo "é excelente". Graças à reunificação da Crimeia, a Rússia tornou-se de novo a potência dominante no mar Negro e Erdogan pode manter a rota para o mar Mediterrâneo. Se Moscou conseguir alcançar a saída da Turquia da OTAN, a Rússia poderá obter a sua maior vitória na política externa, que ofuscará até o seu êxito na Síria, concluiu.

    Mais:

    Mídia: Turquia posiciona tanques e canhões na fronteira com a Síria
    Chanceler turco: Rússia e Turquia cumpriram tudo o que prometeram na Síria
    Turquia anuncia prisão de mais de 1600 pessoas por apoio a terrorismo na internet
    'Impotência total' ou como EUA cederam Turquia à Rússia
    Interesses comuns da Rússia, Irã e Turquia enfraquecerão atividades sauditas
    Tags:
    gasoduto, embargo, relações bilaterais, cooperação, turismo, OTAN, Recep Tayyip Erdogan, Oriente, Turquia, Ocidente, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik