12:22 18 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    As pessoas depõem flores à sede do Ensemble Aleksandrov em homenagem às vítimas do Tu-154

    Senador russo condena 'festa' nas redes sociais ucranianas após trágico acidente

    © Sputnik / Vitaly Belousov
    Rússia
    URL curta
    Acidente aéreo do Tu-154 no mar Negro (31)
    63218

    Ao longo desta manhã, verificaram-se muitos casos em que os usuários ucranianos expressam sua satisfação e até alegria pelo trágico acidente.

    O senador Aleksei Pushkov, expressou sua indignação com o fato.

    "Todo o mundo está de luto junto com a Rússia. Enquanto isso, nas redes sociais ucranianas, tal como após o assassinato do nosso embaixador, reina uma alegria maldosa. Mas isto não trará nada de bom para a Ucrânia."

    Eis alguns dos comentários publicados nas redes sociais na Ucrânia.

    "Só tenho pena da Doutora Liza se ela lá estava, e dos pilotos. Outros iam cantar dançando sobre os cadáveres, junto com aqueles que iam filmar vídeos sobre a vitória das tropas russas e de Assad e disparar contra os membros da oposição ainda vivos… <…>."

    "O tirano é criado pela sua corte e hoje foram menos 90 deles, o que é muito, muito bom. Os restantes que queiram dançar em homenagem das bombas de Putin, entrem na fila."

    "Atentado do Tu-154: eliminado todo o conjunto do coro ‘gentil' Aleksandrov e da fascista Doutora Liza-Maldade." (por enquanto, não foram recebidas quaisquer informações de que o avião tenha sido alvo de atentado terrorista).

    "O Tu-154 não é uma tragédia. É a karma. Por isso, não esperem por compaixão, katsapchiki [denominação pejorativa que os ucranianos às vezes usam ao falar dos russos]. Não há motivo para isso." 

    Tema:
    Acidente aéreo do Tu-154 no mar Negro (31)

    Mais:

    Avião desaparecido russo caiu no mar Negro
    Avião militar russo com 84 passageiros e 8 tripulantes a bordo cai no mar Negro
    Tags:
    redes sociais, acidente, Tu-154, Aleksei Pushkov, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar