15:59 16 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Crimeia, Rússia. Vista de Yalta a partir do mar Negro

    Crimeia propõe à ONU projeto de resolução sobre Ucrânia

    © Sputnik / Sergei Malgavko
    Rússia
    URL curta
    5101

    A Crimeia expressou sua disponibilidade para entregar um projeto de resolução sobre a Ucrânia à Assembleia Geral da ONU, apontando verdadeiras violações dos direitos humanos, informa à RIA Novosti o membro do governo da Crimeia Zaur Smirnov.

    "Estamos recebendo pedidos de ucranianos para apelar à ONU sobre a questão da verdadeira violação escandalosa dos direitos humanos no seu país. Eles não podem apelar à ONU por si próprios, porque qualquer liberdade ou discordância são reprimidas imediatamente na Ucrânia", afirmou Smirnov à RIA Novosti.

    Além disso, o político apontou que os grupos radicais religiosos e nacionalistas estão ganhando força na Ucrânia e estão prosperando as ideias do fascismo e antissemitismo.

    A ONU deve prestar atenção ao bloqueio de transportes, água, energia e vitualhas da Crimeia pela Ucrânia e aos grupos diversionistas que são enviados para a península, considera o deputado.

    Anteriormente, a Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução que refere "a violação dos direitos humanos e as medidas e prática discriminativas em relação aos residentes da Crimeia", incluindo "os tártaros da Crimeia e também os ucranianos e indivíduos de outros grupos étnicos e religiosos". Foi a Ucrânia que apresentou esse projeto de resolução à ONU.

    Mais:

    Tribunal holandês entregará ouro da Crimeia à Ucrânia
    Esquadrilha de 12 caças Su-30SM formada na Crimeia
    Kiev: drones que EUA entregaram à Ucrânia são inutilizáveis
    Ucrânia leiloa último reservatório de gás russo
    Ucrânia vai ampliar lista de sanções antirrussas se vingando por 'prisioneiros políticos'
    Tags:
    projeto de resolução, liberdade, bloqueio, fascismo, violação, antissemitismo, resolução, direitos humanos, Assembleia Geral da ONU, ONU, Zaur Smirnov, Crimeia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar