19:26 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    Resolução europeia contra Sputnik (22)
    57450
    Nos siga no

    O presidente russo Vladimir Putin declarou que a resolução do Parlamento Europeu sobre o combate à propaganda externa é uma evidência da degradação política da noção de democracia.

    Segundo Putin, "todos tentam nos ensinar a democracia, mas as proibições não são a melhor maneira de fazê-lo".

    "Se essa decisão (do Parlamento Europeu sobre a luta contra a alegada propaganda russa) está tomada, isso é um sinal de que nós estamos vendo uma degradação bastante evidente em termos políticos do conceito de democracia na sociedade ocidental", declarou Putin aos jornalistas.

    Durante a conversa com os jornalistas russos, Putin destacou que não tem conhecimento dessa decisão e que é uma novidade para ele.

    "Espero que bom senso vença e que não haja restrições reais para a mídia russa", assinalou Putin.

    Vladimir Putin parabenizou os jornalistas do RT e da Sputnik por sua atividade produtiva.

    © Sputnik
    O presidente da Rússia Vladimir Putin comenta a resolução do Parlamento Europeu sobre o combate à propaganda externa
    Na quarta-feira (23) o Parlamento Europeu aprovou uma resolução sobre a luta contra a propaganda de países terceiros, incluindo a Rússia. A resolução menciona, em particular, o canal RT, a agência Sputnik, a fundação Russky Mir e a agência federal Rossotrudnichestvo. A resolução é intitulada "As comunicações estratégicas da UE como resistência à propaganda de terceiros". Do total de 691 deputados que participaram da votação, 304 votaram a favor, 179 — contra e 208 se abstiveram. Ou seja, menos de metade dos parlamentares tiveram uma posição favorável ao documento. 

    Em outubro, o Comité de Relações Exteriores do Parlamento Europeu aprovou o relatório de combate à propaganda, incluindo a mídia russa entre as ameaças. O documento foi apresentado pela deputada polonesa Anna Fotyga.

    Ao mesmo tempo, o presidente do Comitê de Relações Exteriores da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Leonid Slutsky, não exclui medidas de resposta se for introduzida censura em relação à mídia russa na União Europeia. No entanto, Slutsky manifestou esperança de que o bom senso prevalecerá e que será possível evitar essa situação.

    Na opinião dele, a resolução do Parlamento Europeu de combate à propaganda estrangeira foi elaborada nas melhores tradições da atual administração dos EUA, que adotou o lema — "Quanto maior a mentira, mais facilmente as pessoas acreditarão nela".

    "Tal como o porta-voz do Departamento de Estado dos EUA John Kirby, que divide jornalistas em 'seus' e 'alheios', os parlamentares europeus se apressaram a acusar a Rússia de todos os pecados mortais, de 'propaganda hostil' e até equipararam a resistência contra Moscou à luta contra o Daesh", frisou Slutsky.

    "Na sua histeria russófoba o Parlamento Europeu culpa novamente os outros dos seus próprios erros, trocando as noções do bem e do mal. Tudo isso é parecido com a agonia dos políticos ocidentais, que se mantêm na ribalta apenas à custa de um antagonismo feroz em relação à Rússia. Ao mesmo tempo eles violam abertamente o princípio-chave da democracia — a liberdade de expressão", sublinha o parlamentar russo.

    Por seu turno o senador russo Aleksei Pushkov escreveu no seu microblog no Twitter:

    "Em uma única resolução o Parlamento Europeu pretende denunciar a 'guerra informacional quer por parte da Rússia quer do Daesh'. Neste caso a estupidez concorre com a raiva."

    Tema:
    Resolução europeia contra Sputnik (22)

    Mais:

    Conta da Sputnik Internacional no Twitter foi hackeada
    Resolução contra Sputnik e outras mídias russas será votada no Parlamento Europeu
    Tags:
    degradação, democracia, propaganda, resolução, mídia, Daesh, Duma de Estado, Parlamento Europeu, RT, Sputnik, Leonid Slutsky, Aleksei Pushkov, Vladimir Putin, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar