14:03 18 Junho 2019
Ouvir Rádio
    O Kremlin

    Rússia espera melhorar relações com Bulgária e Moldávia

    © Sputnik / Vladimir Pesnya
    Rússia
    URL curta
    0 51

    A Rússia espera vir a estabelecer relações mais construtivas com a Bulgária e a Moldávia após as recentes eleições presidenciais nestes dois países, disse à RIA Novosti o assessor presidencial russo Yuri Ushakov.

    "Esperamos que haja possibilidades para relações mais construtivas ", disse ele, respondendo à pergunta se podemos esperar uma normalização das relações com a Bulgária e a Moldávia depois das eleições.

    Igor Dodon, líder dos socialistas moldavos e adepto da normalização das relações com Moscou, foi eleito chefe de Estado nas recentes eleições presidenciais no país. Felicitando-o pela vitória, Vladimir Putin expressou a esperança em um diálogo construtivo e colaboração ativa no desenvolvimento das relações russo-moldavas, em conformidade com as disposições do Tratado de Amizade e Cooperação.

    Na Bulgária, para o cargo de chefe de Estado foi eleito também um simpatizante dos socialistas locais, o ex-comandante da Força Aérea do país, general Rumen Radev. Em seu telegrama, Putin expressou confiança de que os dois dirigentes serão capazes de dar um impulso ao diálogo político e expandir a cooperação.

    O porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, dissera anteriormente que o Kremlin respeita a escolha dos povos da Bulgária e da Moldávia e felicita os candidatos que venceram as eleições presidenciais nesses países; disse ainda que a Rússia saúda as declarações de Dodon e de Radev, que mostram vontade de trabalhar para a normalização das relações com outros países.

    Mais:

    Parlamentar europeu: Bulgária poderá ser ponte entre Rússia e UE com novo presidente
    Com novo presidente, a Moldávia parece estar dando as costas à Europa
    Tags:
    cooperação, melhoração, presidente, eleições, Rumen Radev, Igor Dodon, Vladimir Putin, Yuri Ushakov, Moldávia, Bulgária, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar