21:05 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Banco Rossiya em São Petersburgo

    EUA ampliam sanções contra a Rússia

    © Sputnik / Igor Russak
    Rússia
    URL curta
    4449

    Os EUA anunciaram nesta quinta-feira (1º) uma longa lista de empresas e indivíduos submetidos às sanções contra a Rússia devido ao suposto apoio de Moscou aos rebeldes na Ucrânia e à reunificação com a Crimeia em 2014.

    A lista inclui uma unidade-chave do Banco Rossiya, frequentemente referido na mídia como o banco pessoal do presidente russo Vladimir Putin, e algumas das maiores empresas de construção da Rússia que estão envolvidas no projeto em andamento de erigir uma nova ponte entre a Crimeia e a Rússia continental. 

    Além disso, a relação incluiu 17 rebeldes separatistas da Ucrânia, 11 deles membros do governo que a Rússia estabeleceu na Crimeia, além de várias empresas russas que operam na península, incluindo grandes empresas marítimas e de defesa.

    As sanções visam a isolar os nomes que estão na lista negra das redes financeiras globais, limitando assim a sua capacidade de fazer negócios, através da proibição imposta a todas as entidades e indivíduos norte-americanos de fazer negócios com as empresas e indivíduos sob sanção dos EUA.

    O Tesouro dos EUA disse que a nova medida visa a combater os esforços de entidades russas para contornar as sanções existentes sobre indivíduos e companhias.

    "A Rússia continua a provocar instabilidade no leste da Ucrânia, apesar de seus acordos de Minsk", disse John Smith, o diretor em exercício do Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros do Departamento do Tesouro norte-americano, citado pela AFP.

    Mais:

    Ucrânia amplia sanções a cidadãos e empresas russas
    Países Baixos podem sair da UE para levantar sanções contra Rússia
    Mídia: EUA planejam introduzir mais sanções contra Rússia por intervenção na eleição
    Sanções antirrussas favorecem China que suplanta Europa no mercado russo
    Rússia supera sanções e estabiliza a economia – garante especialista americano
    Tags:
    empresas, construção, sanções, Banco Rossiya, Vladimir Putin, Crimeia, Ucrânia, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik