13:49 19 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    1212
    Nos siga no

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, em conversa telefônica com chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e com presidente da França, François Hollande, chamou a atenção para provocações de Kiev, que enviou, em agosto, um grupo de sabotadores para a Rússia, com objetivo de realização de atentados terroristas, informou Kremlin nesta terça-feira.

    “Vladimir Putin chamou a atenção dos seus parceiros sobre uma grave provocação da parte ucraniana, que enviou, no início de agosto, um grupo de sabotadores para o território da Federação da Rússia, com objetivo de realizar atentados terroristas. A disposição de Kiev para ações agressivas deste tipo prejudica o processo de Minsk e a cooperação no âmbito do Quarteto de Normandia”, informa o comunicado de Moscou.

    Além disso, durante a conversa as partes destacaram a importância de liquidar a escalação do conflito em Donbas e do cumprimento dos acordos para o recuo de armamentos pesados. 

    No dia 10 de agosto, o Serviço de Segurança da Rússia informou ter evitado atos de sabotagem junto à fronteira que separa a Crimeia da Ucrânia, organizados pela Direção Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia. Durante a detenção foram mortos dois militares russos.

    Em abril de 2014, Kiev iniciou uma operação militar nas províncias de Donetsk e Lugansk para amenizar a insatisfação com a mudança violenta de poder no país, ocorrida em fevereiro do mesmo ano.

    A solução do conflito está sendo discutida, inclusive no âmbito dos encontros do grupo de contato em Minsk, que desde setembro de 2014 já aprovou três documentos regulamentando os passos de diminuição da tensão, inclusive a trégua. Porém, os dois lados do conflito denunciam violações regularmente.

    Mais:

    Sabotagem ucraniana na Crimeia: detalhes
    Poroshenko acha 'extremamente difícil' recuperar Crimeia e Donbass
    Poroshenko ameaça declarar lei marcial na Ucrânia
    Hollande, Merkel e Poroshenko: a solução para crise em Donbass deve ser política
    'Kiev tentou cometer atentados na Crimeia para não cumprir os Acordos de Minsk'
    Tags:
    Acordos de Minsk, Minsk, François Hollande, Angela Merkel, Vladimir Putin, Crimeia, Alemanha, França, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar