02:17 24 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    4201
    Nos siga no

    O aumento da presença militar russa na Crimeia não faz parte de um plano contra OTAN, nem outro país, disse ao Sputnik o representante permanente da Rússia na Organização do Tratado do Atlântico Norte, Aleksandr Grushko.

    Barras de dinamite, artefatos explosivos artesanais e granadas encontados durante a detenção de agentes ucranianos que planejavam organizar atentados na Crimeia (Imagem de vídeo do FSB russo)
    © Sputnik / Centro de Relações Públicas do FSB da Rússia
    “Serei direto. Quando se fala de tudo o que fazemos na Crimeia, há muitos elementos imaginados, com objetivo de assustar a opinião pública. Na verdade, todos na OTAN entendem muito bem que a presença militar da Rússia na Crimeia sempre foi séria, sempre foi assim. Sempre houve a presença do exército e das forças aéreas, além da marinha. Sempre tivemos um forte sistema de artilharia naval e escudos de mísseis. Por isso, a nossa atividade atual, do ponto de vista de relação de força, não é nenhuma novidade para os países da OTAN”, disse o representante russo.

    No entanto, Grushko reconheceu que a Rússia, em seu planejamento militar, precisa considerar as mudanças ocorridas nas suas fronteiras. “Estamos observando um fortalecimento do flanco leste (da OTAN), discutido durante as cúpulas no País de Gales e em Varsóvia, que está ficando cada vez mais concreto. Observamos cada vez mais navios de países de fora da região no Mar Negro. Ouvimos solicitações para criar unidades da OTAN no Mar Negro. Não podemos deixar isso desapercebido”, explicou Grushko. 

    Mais:

    Savchenko está disposta a mandar para a guerra 'carne para canhão' para recuperar Crimeia
    Moscou espera novas sabotagens de Kiev na Crimeia
    Mídia: Kiev quer culpar radicais da sabotagem na Crimeia
    Incidente na Crimeia pode reforçar sanções contra Rússia
    Tags:
    OTAN, Aleksandr Grushko, Mar Negro, Crimeia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar