17:04 18 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    0 26
    Nos siga no

    Sabotadores, que planejavam ataques na Crimeia, contaram com "suporte" do grupo de oficiais da Marinha ucraniana, que acompanhava a situação a partir de centro marítimo em Ochakovo (cidade na Ucrânia), disse à RIA Novosti uma fonte dos órgãos de segurança pública na Crimeia.

    Barras de dinamite, artefatos explosivos artesanais e granadas encontados durante a detenção de agentes ucranianos que planejavam organizar atentados na Crimeia (Imagem de vídeo do FSB russo)
    © Sputnik / Centro de Relações Públicas do FSB da Rússia
    De acordo com a fonte, entre 7 e 9 de agosto, um grupo dos oficiais da Marinha ucraniana chegou ao centro especial marítimo em Ochakovo, que faz parte das Forças das operações especiais.

    "O helicóptero Mi-14PS de número 34 aterrissou no aeródromo de Kulbakino", informou a fonte.

    "Os militares do centro, durante conversas privadas, diziam que este grupo chegou para dar apoio no suporte e evacuação do grupo de sabotadores da Direção Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia, bloqueado na Crimeia", adicionou a fonte.

    O funcionário dos serviços de segurança da Rússia disse à RIA Novosti que o organizador da sabotagem foi o chefe de inteligência do 37º batalhão ucraniano, o capitão da 56ª Brigada, Vladimir Serdyuk. Mais tarde, ele confirmou que prestou serviço no batalhão, mas em outra posição.

    Durante interrogatório, os detidos admitiram que os alvos de ataque seriam, em particular, o aeroporto e a estação de ônibus em Simferopol.

    Mais:

    Savchenko está disposta a mandar para a guerra 'carne para canhão' para recuperar Crimeia
    Moscou espera novas sabotagens de Kiev na Crimeia
    Rússia nega acesso à Crimeia para missão de observadores da OSCE
    Crimeia recebe o sistema de mísseis S-400 Triumph
    Tags:
    segurança nacional, sabotagem, ataques, Marinha da Ucrânia, Crimeia, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar