05:48 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Submarino nuclear russo da classe Borey Yuri Dolgoruky

    National Interest: por que razão submarinos russos ameaçam os EUA?

    © Foto : Sevmash
    Rússia
    URL curta
    53273

    Ao mesmo tempo que a Marinha dos EUA está se preocupando com ameaça da Frota russa e chinesa, a capacidade da sua defesa antissubmarino está se tornando obsoleta.

    Segundo o jornal The National Interest, a Rússia tem "cerca de 56 submarinos, a China cerca de 70 e os  EUA-52". 

    Apesar de a Rússia ter menor quantidade de submarinos, seus navios são "de classe mais alta" que os chineses, refere o vice-chefe da Marinha dos EUA, Joseph Malloy. 

    O antigo capitão da Frota norte-americana Jerry Hendrix acrescenta que "os russos continuam avançando com uma série de inovações técnicas, que surgiram no fim da época soviética", mas os choques econômicos, sociais e políticos ainda não permitiram à "nova Rússia" tirar o máximo benefício destes avanços. 

    "Entretanto, os EUA e seus aliados sempre se desviam para guerras no Iraque e Afeganistão e permitiram a atrofia de suas capacidades antissubmarino", afirma Hendrix.

    Segundo o jornal, o problema real dos EUA é que os meios de defesa antissubmarino dos EUA se tornaram obsoletos, enquanto a Rússia e a China estão reforçando suas capacidades nesta área. 

    Outro problema é o défice de investimentos no desenvolvimento de sistemas antissubmarino e, como resultado, a falta da preparação para o combate real.

    Apesar de, segundo Hendrix, os submarinos russos e chineses ainda serem um pouco menos avançados do que os norte-americanos, no futuro estes dois países podem se tornar um desafio para os EUA se nada for feito pelo Pentágono.

    Mais:

    Mais um submarino de ataque nuclear russo é lançado à água
    Por que a China construiu um novo submarino nuclear?
    Tags:
    capacidade militar, defesa, opiniões, combate, desenvolvimento, preparação, problemas, submarino, inovação, The National Interest, China, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik