Caros leitores, com grande alegria anunciamos que a Voz da Rússia está mudando de nome e se mudando para um novo site. Nós agora seremos conhecidos como a agência de notícias e rádio Sputnik. Vocês podem encontrar todas as últimas notícias da nossa agência em http://br.sputniknews.com. Por favor, atualizem seus favoritos e fiquem conosco!
20 Janeiro 2015, 15:09

Pegida cancela protesto na Alemanha após receber ameaça de morte

Estado Islâmico, Alemanha, protesto, terrorismo, ameaça, Facebook

Foto de arquivo

Foto de arquivo

O movimento anti-islâmico Pegida (sigla alemã para "Europeus Patriotas contra a Islamização do Ocidente"), suspendeu no domingo (18) a manifestação prevista para o início desta semana, em Dresden. A medida foi anunciada por "motivos de segurança", após um dos organizadores do protesto ter recebido ameaça de morte da parte do grupo extremista Estado Islâmico.

A polícia de Dresden também proibiu quaisquer outras manifestações a céu aberto na segunda-feira (19), impedindo assim a realização de outros dois atos que também estavam marcados para esse dia. Eram eles o protesto intitulado “Dresden para Todos” e a manifestação de militantes contrários ao Pegida.

O movimento, que promove a luta contra a islamização na Alemanha, vinha realizando protestos todas as segundas-feiras em Dresden. Os responsáveis pelo Pegida destacaram que, ao contrário do que a polícia local apresentou como uma “ameaça abstrata” para impedir o protesto desta semana, o motivo real do cancelamento foi uma ameaça de morte ordenada pelos terroristas do Estado Islâmico.

Um dos responsáveis pelo Pegida na rede social Facebook, escreveu que a situação representa "um grave atentado à liberdade de opinião e de manifestação" por parte "de forças terroristas".

 

Uma recente pesquisa mostrou que atualmente 40% dos alemães declaram se sentir "estrangeiros em seu próprio país" por causa da presença de muçulmanos. Os dados mostraram ainda que um quarto dos entrevistados disse que os muçulmanos deveriam ser impedidos de imigrar para a Alemanha.

Com uma população total de pouco mais de 80 milhões de habitantes, o país abriga hoje cerca de 4 milhões de muçulmanos.

A crescente popularização do Pegida na Alemanha vem preocupando as autoridades locais. Em seu discurso de Ano Novo, a chanceler do país, Angela Merkel, pediu aos alemães para que não se deixem influenciar pelos organizadores do movimento, que, segundo ela, frequentemente carregam preconceito, frieza e até ódio em seus corações, querendo excluir pessoas a partir da cor da pele ou de religião diferentes.

  •  
    E recomendar em