03:12 18 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    15325
    Nos siga no

    Mike Pompeo, ex-secretário de Estado dos EUA e ex-diretor da CIA, disse nesta terça-feira (12) na 10ª Conferência Anual do Jerusalem Post, que a administração Biden enfraqueceu a posição de Israel e fortaleceu a do Irã.

    Pompeo defendeu a decisão da anterior administração Trump de abandonar em 2018 o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), conhecido como o acordo nuclear iraniano, dizendo que as políticas adotadas tornaram o mundo mais seguro em relação ao Irã.

    "Negamos-lhes recursos e negamos-lhes a possibilidade de construir uma capacidade de ameaçar o golfo", comentou ex-secretário de Estado dos EUA.

    "O ataque contra Qassem Soleimani demonstrou a nossa disposição de defender os interesses americanos em todo o mundo", acrescentou Pompeo, referindo-se ao ataque aéreo dos EUA conduzido em janeiro de 2020 em Bagdá que matou o comandante da força de elite iraniana Quds.

    "O trabalho em que estávamos envolvidos pode ter impedido o Irã de obter uma arma nuclear", disse.

    Depois que o presidente americano Joe Biden tomou posse em janeiro deste ano, sua administração iniciou conversações para voltar ao JCPOA, mas, nove meses mais tarde, as negociações ainda continuam.

    Central nuclear de Bushehr, no Irã (imagem referencial)
    © AFP 2021 / BEHROUZ MEHRI
    Central nuclear de Bushehr, no Irã (imagem referencial)

    "A administração atual quer regressar ao acordo, de forma mais longa, melhor e mais forte? Bem, eu quero que seja mais longo, melhor e muito, muito mais forte", disse Pompeo acrescentando que mais um ou dois anos da administração Trump teriam acabado para sempre com as supostas ambições do Irã em relação às armas nucleares.

    "Nunca deixaríamos o Irã obter armas nucleares, durante nosso governo", observou Pompeo.

    Por sua vez, Yossi Cohen, ex-chefe do serviço de inteligência israelense Mossad declarou durante a conferência que o Irã "atualmente, não está nem perto de adquirir uma arma nuclear".

    Porém, tanto Cohen como Pompeo concordam relativamente a uma resposta israelense.

    "Temos que desenvolver capacidades que nos permitam ser absolutamente independentes", comentou Cohen depois de afirmar que Israel tem a capacidade de impedir o Irã de obter uma arma nuclear. "Eles no Irã não devem dormir tranquilamente", concluiu ex-chefe do Mossad.

    Mais:

    Irã tem urânio suficiente para produzir armas nucleares em 1 mês, relata think tank dos EUA
    'Erro perigoso': Netanyahu critica governo de Israel por aceitar cenário de retorno dos EUA ao JCPOA
    Israel determinado a enfrentar 'terror guiado pelo Irã', segundo chancelaria
    Tags:
    Israel, armas nucleares, Mike Pompeo, Irã, EUA, Mossad
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar