20:55 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4104
    Nos siga no

    Os militantes de Jenin já enviaram uma mensagem ao Estado judeu avisando que se as FDI de Israel entrarem na área, para buscar os fugitivos da prisão Gilboa, eles vão enfrentar um confronto.

    Israel continua procurando dois dos seis prisioneiros palestinos que escaparam da prisão de Gilboa no início da semana passada. Israel acredita que ao menos um dos fugitivos já atingiu a cidade, associada aos grupos militantes Hamas e Jihad Islâmica na Palestina.

    Cidade natal dos fugitivos

    Israel acredita que uma das cidades onde eles podem se esconder é Jenin, localizada no norte da Cisjordânia.

    É a cidade natal de todos os seis prisioneiros fugidos. Também foi lá que milhares de pessoas saíram às ruas para celebrarem a fuga da prisão, com motoristas buzinando e multidões disparando para o ar. Outros estavam esperando na frente da casa de um dos fugitivos em antecipação de que eles podiam aparecer.

    O vice-governador de Jenin, Mansour Saed, disse que eles fizeram isso porque eles "tentavam recuperar seus direitos, especialmente porque Israel viola os direitos humanos básicos e todas as leis internacionais".

    Agora, enquanto a busca prossegue, ele afirma não saber sua localização e que está preocupado com o destino deles.

    Bastião de resistência

    Mas ele também está preocupado com o confronto que pode eclodir caso as Forças de Defesa de Israel acabem entrando na cidade em busca dos fugitivos.

    Desde o ano 2000, Jenin tem sido uma cidade de forte resistência a Israel. Ela era a cidade natal de muitos terroristas palestinos que entraram no Estado judeu, onde eles detonaram bombas, esfaquearam indivíduos ou se envolveram em tiroteios.

    Naquela época, a situação era tão intolerável que Israel teve que capturar a cidade a fim de combater os militantes que viviam ou se escondiam lá. Durante a operação, dezenas de palestinos e soldados israelenses foram mortos, 170 casas foram completamente destruídas.

    Desde então, a situação tem sido relativamente calma, mas só à primeira vista. Os militantes da cidade acumularam grande quantidade de munições e utilizaram-nas contra os militares israelenses em dezenas de incidentes registrados desde o fim do conflito palestino-israelense em 2021.

    Especialistas de Israel acreditam que os militantes do Hamas e Jihad Islâmica, que controlam a cidade, não vão hesitar em demostrar sua força se Israel entrar em Jenin em busca dos fugitivos, e Saed promete que as pessoas na área "não vão ficar paradas e vão entrar em conflito com as FDI".

    "Eu não acredito que os dois prisioneiros estejam em Jenin. É uma narrativa de Israel e eles vão usá-la para invadir a cidade e violar nossos direitos. Se o fizerem, estamos prontos para retaliar."

    Rumo à escalada?

    Nos últimos dias houve manifestações em massa em Jenin, especificamente após a captura de Zakaria Zubeidi, um dos fugitivos recapturados por Israel e que foi alegadamente espancado pelas forças de segurança do país.

    Milhares reuniram-se no centro da cidade para expressar sua raiva, enquanto dezenas de jovens foram captados em suas motocicletas rumo ao posto de controle israelense mais próximo, supostamente para confrontar as FDI.

    É por isso que em Israel já foram articuladas preocupações de que a nova escalada com os palestinos já está ao virar da esquina. E Saed disse que, se a situação continuar se agravando, vai acabar "explodindo na cara de Israel".

    Mais:

    Israel determinado a enfrentar 'terror guiado pelo Irã', segundo chancelaria
    Defesa de Israel afirma ter interceptado foguete lançado desde Gaza (VÍDEO)
    Irã acusa Ocidente de padrão duplo 'vergonhoso' em relação às armas nucleares de Israel
    Tags:
    Cisjordânia, israel, Palestina, tensões, prisioneiros
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar