04:28 24 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    21223
    Nos siga no

    Diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) disse que ainda é preciso "ver o grau de lacuna dos dados perdidos". Irã atribuiu o ataque ao Mossad.

    Nesta segunda-feira (13), o diretor-geral da AIEA, Rafael Grossi, disse a repórteres que o ataque de junho às instalações de pesquisa nuclear do Irã em Karaj danificou alguns dos equipamentos da agência.

    Teerã relacionou o ataque, realizado através de drone quadricóptero, ao Mossad. Não houve feridos na equipe devido às precauções de segurança já rígidas. 

    O Centro de Pesquisa Agrícola e Medicina Nuclear de Karaj é uma instalação civil operada pela Organização de Energia Atômica do Irã (AEOI, na sigla em inglês), mas relatos não confirmados divulgados pela mídia israelense sugerem que o ataque teve como alvo um local secreto para a fabricação de centrífugas usadas para refinar urânio, conforme noticiado.

    "Ainda precisamos ver o grau de lacuna dos dados perdidos", disse Grossi.

    O diretor-geral disse que não esperava que o Irã voltasse ao cumprimento do acordo nuclear antes que as negociações com os EUA abrissem caminho para que ambas as nações voltassem ao pacto como um todo. 

    O chefe da AIEA chegou a Teerã no fim de semana a convite do novo governo do presidente iraniano Ebrahim Raisi.

    Após conversas no domingo (12) com o novo chefe da AEOI, Mohammad Eslami, as duas agências divulgaram um comunicado conjunto dizendo que a AIEA teria permissão para fazer a manutenção de seu equipamento e substituir seus meios de armazenamento em instalações nucleares iranianas.

    O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, encontra-se com o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Mohammad Eslami, em Teerã, Irã, 12 de setembro de 2021
    © REUTERS / Mídia Associada
    O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, encontra-se com o chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Mohammad Eslami, em Teerã, Irã, 12 de setembro de 2021

    Grossi também afirmou hoje (13) que o país persa continuará negando à agência o acesso a dados eletrônicos desde 24 de fevereiro, quando o país restringiu sua cooperação com a AIEA, até que seja negociado um retorno ao Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês).

    Mais:

    Se o mundo não impedir Irã de obter armas nucleares, Israel tem o direito de agir, diz chanceler
    Atraso no diálogo com Irã pode 'não ser benéfico' ao acordo nuclear, diz Blinken
    Inteligência do Irã afirma que destruiu célula adormecida do Mossad fortemente armada
    Tags:
    Mossad, israel, acordo nuclear, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar