07:42 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    237
    Nos siga no

    O local da residência de Alpha Condé, presidente da Guiné, foi invadido por forças especiais, segundo a mídia, mas uma fonte indicou que 25 militares envolvidos em um suposto golpe de Estado foram detidos.

    Tiros foram disparados em Conacri, capital da Guiné, junto da residência do presidente do país, escreveu a mídia no domingo (5).

    Citando fontes, a revista Jeune Afrique indica que membros de um grupo de forças de operações especiais estão por trás da tentativa de um golpe de Estado, tendo começado a lutar com a guarda do presidente Alpha Condé.

    As forças especiais são lideradas pelo coronel Mamadi Dumbuya, que serviu anteriormente na Legião Estrangeira francesa, segundo Jeune Afrique.

    Testemunhas que falaram por telefone com a agência norte-americana Associated Press (AP) contaram que ouviram tiroteios e que vários militares surgiram nas ruas pedindo aos civis que regressassem a casa.

    No entanto, uma fonte teria sugerido à Sputnik que as forças leais às autoridades tinham a situação sob controle.

    "Forças leais ao presidente guineano detiveram 25 militares envolvidos em um motim militar na capital da Guiné, Conacri", disse.

    Aparentemente como resultado do incidente, militares bloquearam as estradas a 50 quilômetros da capital da Guiné, anunciou o portal Guinee News.

    Condé tem estado no poder no país africano desde 2010 e sobreviveu a uma tentativa de assassinato em 2011.

    Mais:

    'Golpe de estilo boliviano' foi impedido no país, diz presidente do parlamento da Nicarágua
    Mianmar: grupos rebeldes apoiam manifestações e condenam repressão de militares
    General que governa Mianmar ordena manifestantes a voltarem ao trabalho
    Tags:
    Guiné, Sputnik, Sputnik News, Associated Press, AP, Jeune Afrique, Alpha Condé
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar