10:18 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5201
    Nos siga no

    Nas primeiras horas desta sexta-feira (3), os sistemas de defesa antiaérea da Síria interceptaram uma série de ataques aéreos que teriam sido lançados a partir de Israel contra a cidade de Damasco.

    O Ministério das Relações Exteriores da Síria exigiu em comunicado à Organização das Nações Unidas (ONU) que tome medidas para evitar a repetição de ataques israelenses em território sírio, informou a agência SANA nesta sexta-feira (3).

    "A Síria, sendo uma das fundadoras da ONU, mais uma vez pede ao Conselho de Segurança e à Assembleia Geral que cumpram seus compromissos sob a Carta da ONU, os mais importantes dos quais são a manutenção da paz e segurança internacional, a condenação da agressão aberta de Israel, a responsabilização de Israel e [a necessidade de] tomar medidas urgentes e decisivas para evitar uma repetição da agressão", diz o comunicado do MRE sírio.

    Na madrugada desta sexta-feira (3), os sistemas de defesa antiaérea da Síria interceptaram uma série de ataques que teriam partido de Israel contra a cidade de Damasco.

    Logo após os ataques, a mídia israelense noticiou que explosões foram ouvidas no centro de Israel, embora as sirenes que deveriam alertar sobre possíveis bombardeios não entraram em ação, diz a mídia. Ainda não se sabe se esses incidentes estão relacionados.

    O Exército israelense se recusou a comentar os ataques aéreos na Síria.

    Mais:

    EUA realocam 40 terroristas das prisões para sua base no nordeste da Síria, diz mídia
    EUA contrabandeiam dezenas de caminhões-tanque carregados de petróleo da Síria, relata mídia
    Defesa antiaérea da Síria rebate ataque contra Damasco, diz mídia local
    Sistemas de defesa aérea da Síria destroem 22 mísseis de Israel, diz Rússia
    Tags:
    ONU, Conselho de Segurança da ONU, Síria, Israel, Damasco, ataque aéreo, ataques aéreos, mísseis, foguete, foguetes
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar