14:34 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    41535
    Nos siga no

    Teerã nega categoricamente ter algo a ver com o ataque ao Mercer Street, um petroleiro administrado pelo bilionário israelense Eyal Ofer. O navio foi atacado no golfo de Omã em 29 de julho, resultando na morte de seu capitão romeno e de um cidadão britânico.

    O ex-secretário de Estado norte-americano na administração Donald Trump, Mike Pompeo, criticou o atual presidente dos EUA, Joe Biden, por este não desistir das negociações nucleares com o Irã na sequência do ataque em 29 de julho ao petroleiro Mercer Street, que possui bandeira liberiana e é administrado por bilionários israelenses, nas águas do mar Arábico. Autoridades israelenses, norte-americanas, britânicas e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) culparam o Irã pelo incidente, apesar das negativas veementes de Teerã.

    "Você começou [...] com a conversa sobre Irã, certo, eles agora mataram um britânico e um romeno, atacaram um navio no mar. Eles lançaram foguetes através do Hamas em Israel a partir da Faixa de Gaza, e ainda estamos sentados à mesa tentando negociar um acordo nuclear com eles. Isso é loucura", disse Pompeo à emissora Fox News na segunda-feira (2).

    O ex-secretário de Estado dos EUA ainda acusou o atual governo norte-americano de ser fraco contra seus adversários, incluindo Irã, China e Rússia.

    "Quando você está fraco, você cria risco, você cria um risco real porque seus adversários acreditam que podem pisar em você. Quando você é forte, quando você tem clareza sobre as palavras que usa e está preparado para apoiá-las como a administração Trump sempre fez, quando você está preparado para apoiar as coisas que garantirão a liberdade norte-americana, seus adversários tomam nota disso", garantiu Pompeo.
    O ex-secretário de Estado Mike Pompeo fala no West Side Conservative Club em Urbandale, Iowa, em 26 de março de 2021
    © AP Photo / Charlie Neibergall
    O ex-secretário de Estado Mike Pompeo fala no West Side Conservative Club em Urbandale, Iowa, em 26 de março de 2021

    Israel pode 'agir sozinho'

    Nesta terça-feira (3), o primeiro-ministro israelense Naftali Bennett advertiu que Tel Aviv não descartaria a hipótese de "agir sozinho" para responder ao ataque, embora estivesse "trabalhando para que o mundo se juntasse a nós" na reação.

    "Sentado pacificamente em Teerã e incendiando todo o Oriente Médio – estes tempos terminaram. Estamos trabalhando para o mundo se juntar a nós, mas, ao mesmo tempo, também sabemos como agir sozinhos [...]. O Irã sabe o preço que vamos cobrar quando alguém ameaça nossa segurança", avisou Bennett.

    Também nesta terça-feira (3), a OTAN divulgou um comunicado dizendo que condena "veementemente" o ato de agressão contra o Mercer Street, criticando o Irã e acrescentado que a aliança considera Teerã "muito provavelmente responsável" pelo incidente.

    Mercer Street, navio-tanque de bandeira liberiana administrado pela israelense Zodiac Maritime que foi atacado na costa de Omã. Foto de arquivo
    © REUTERS / JOHAN VICTOR
    Mercer Street, navio-tanque de bandeira liberiana administrado pela israelense Zodiac Maritime que foi atacado na costa de Omã. Foto de arquivo

    Teerã negou veementemente as alegações de envolvimento no ataque do petroleiro e advertiu que responderia "imediatamente e fortemente" se provocado.

    Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores russo disse à Sputnik na segunda-feira (2) que Moscou não viu qualquer indicação de envolvimento iraniano no incidente ou viu qualquer evidência para apoiar tais alegações.

    Mais:

    Economia do Irã não será amarrada 'à vontade dos estrangeiros', diz presidente sobre sanções dos EUA
    Netanyahu: Biden pode minar operações de Israel contra Irã vazando dados à mídia, diz relato
    Navio-tanque sob bandeira de Cingapura 'perdeu o controle' no golfo de Omã, diz portal
    Tags:
    Donald Trump, Mike Pompeo, EUA, Joe Biden, Irã, Israel, Naftali Bennett, petroleiro, Omã, navio-tanque, navio, navio
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar