16:12 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2622
    Nos siga no

    Estados Unidos e Israel conduziram conversações sobre uma ação contra drones iranianos, uma vez que eles suspeitam que o Irã está armando milícias xiitas na região, relata o jornal Axios.

    Durante a reunião, as partes teriam discutido a questão do estabelecimento de uma "zona de exclusão aérea" para veículos aéreos não tripulados iranianos no Oriente Médio.

    De acordo com a notícia, três semanas atrás, um grupo de trabalho de agências de Israel e EUA que lidam com a ameaça de drones e mísseis iranianos, se reuniu pela primeira vez, com base em um acordo estabelecido em abril entre os conselheiros de segurança nacional dos dois países Jake Sullivan e Meir Ben Shabbat.

    Segundo informações, a delegação israelense teria proposto uma estrutura de cooperação regional que englobe os países árabes que são ameaçados de forma semelhante por drones e mísseis iranianos.

    O jornal informa, citando tanto altos funcionários americanos e israelenses que participaram das negociações, que a equipe americana era liderada pelo coordenador do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca para o Oriente Médio e Norte da África, Brett McGurk, e a equipe israelense - pelo vice-conselheiro de Segurança Nacional Reuven Ezer.

    Ababil-3 é o drone mais recente da indústria de defesa do Irã. O drone possui um motor de 4 cilindros a gasolina, autonomia de voo – 8 horas, altitude – 4500 metro, raio de ação efetivo – 250 km. O drone pode enviar dados tanto para uma base terrestre como para qualquer outra
    © Sputnik / Arash Dorudi
    Ababil-3 é o drone mais recente da indústria de defesa do Irã. O drone possui um motor de 4 cilindros a gasolina, autonomia de voo – 8 horas, altitude – 4500 metro, raio de ação efetivo – 250 km. O drone pode enviar dados tanto para uma base terrestre como para qualquer outra

    Citando fontes israelenses, o jornal observa que o grupo de trabalho continuará a se reunir, uma vez que a administração Biden considera que a ameaça de drones contra militares dos EUA na região é de máxima importância e se mostra preocupada com o fato de que, à medida que a tecnologia se expande, a ameaça poder piorar.

    A base aérea de Ain Al-Asad, que abriga a maioria dos soldados dos EUA no Iraque, tem sido alvo de ataques regulares com drones e mísseis. As autoridades dos EUA culpam as milícias apoiadas pelo Irã na região pelos ataques.

    Anteriormente foi relatado que um ataque de drone que ocorreu em 8 de maio danificou um hangar e teria abatido dois drones armados na referida base em 6 de junho.

    Recentemente, o chefe do Estado-Maior de Israel, tenente-general Aviv Kochavi, teria ordenado a várias de suas unidades para acelerarem as preparações para um possível conflito com a República Islâmica, de acordo com fontes do gabinete do ministro da Defesa de Israel.

    Mais:

    Irã produziu cerca de 114 kg de urânio altamente enriquecido desde janeiro, diz porta-voz do governo
    Navios de guerra do Irã entram no Atlântico pela 1ª vez (VÍDEO)
    'Última chance de acordar': premiê de Israel adverte EUA contra renovação de acordo nuclear com Irã
    Tags:
    milícias xiitas, Irã, Oriente Médio, Israel, EUA, zona de exclusão aérea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar