05:51 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4483
    Nos siga no

    A tentativa de ataque à usina nuclear de Natanz, no Irã, acabou não causando danos materiais ou perdas de vidas, segundo foi divulgado pela mídia nacional.

    De acordo com o relato do canal de televisão da República Islâmica do Irã IRIB, citado pela agência de notícias Mehr, a tentativa de ataque, ocorrida nesta quarta-feira (23), conseguiu ser impedida momentos antes de poder infligir danos no edifício da infraestrutura nuclear.

    A mídia iraniana aponta que a vigilância das organizações de segurança e defesa do país tem conseguido o falho regular de atos semelhantes.

    Até agora, as autoridades persas ainda não liberaram mais detalhes sobre o incidente.

    Instalação de enriquecimento de urânio de Natanz, a 250 quilômetros ao sul da capital iraniana Teerã, 12 de abril de 2021
    © REUTERS / Maxar Technologies / Handout
    Instalação de enriquecimento de urânio de Natanz, a 250 quilômetros ao sul da capital iraniana Teerã, 12 de abril de 2021

    A tentativa de sabotagem da usina nuclear de Natanz acontece em meio às conversações em Viena entre o Irã e outros membros do Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês).

    Já em abril deste ano, a mesma usina foi alvo de outro ato de sabotagem, o qual Teerã classificou de "terrorismo nuclear" e "crime de guerra". Israel foi apontado o culpado deste ataque pelo Irã, não tendo, por sua vez, confirmado ou negado seu envolvimento.

    De momento, investigações foram iniciadas para se descobrir quem esteve por trás desta recente tentativa de sabotagem.

    Mais:

    'Última chance de acordar': premiê de Israel adverte EUA contra renovação de acordo nuclear com Irã
    Usina nuclear Bushehr teria sido fechada por causa de 'falha técnica', segundo Irã (VÍDEO)
    Israel inicia preparação de suas forças para possível conflito com Irã, diz mídia
    Tags:
    sabotagem, ataque, usina nuclear, Natanz, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar