03:44 03 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3391
    Nos siga no

    Presidente eleito do Irã, Ebrahim Raisi, disse nesta segunda-feira (21) que seu país não pretende prosseguir nas negociações sobre o regresso ao Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) se o acordo não servir os interesses de Teerã.

    "Não pretendemos negociar um acordo nuclear se eles não garantirem os interesses de nosso país", afirmou Raisi em uma coletiva de imprensa.

    Ele acrescentou que os EUA são "obrigados a retirar as sanções contra o Irã", uma vez que violaram o JCPOA, enquanto a União Europeia "também não seguiu as disposições do acordo".

    "Exorto os EUA a voltarem ao seu compromisso com o acordo […]. Todas as sanções impostas ao Irã devem ser retiradas e verificadas por Teerã", afirmou.

    Ao mesmo tempo, Raisi frisou que a política externa do Irã não está limitada ao acordo nuclear e que o país está pronto para uma cooperação equilibrada com os países estrangeiros.

    Parlamentares iranianos queimam papeis com a bandeira norte-americana e a cópia do acordo nuclear após a decisão de Trump de sair do acordo, em 9 de maio
    © AP Photo
    Parlamentares iranianos queimam papeis com a bandeira norte-americana e a cópia do acordo nuclear após a decisão de Trump de sair do acordo, em 9 de maio

    Ebrahim Raisi é considerado um linha-dura e um forte crítico do Ocidente. Ele vai assumir o cargo de presidente do Irã em agosto, enquanto o país busca restaurar o acordo nuclear e se livrar das sanções impostas pelos EUA, que têm provocado uma desaceleração econômica.

    Depois que os EUA deixaram o JCPOA em 2018, o Irã começou em 2019 a ultrapassar os níveis máximos acordados de enriquecimento de urânio, passando de 3,67% para 60%, seu nível mais alto até hoje.

    Mais:

    Biden quer reviver JCPOA antes que novo presidente iraniano assuma poder em 6 semanas, diz mídia
    Irã produziu cerca de 114 kg de urânio altamente enriquecido desde janeiro, diz porta-voz do governo
    'Posição de fraqueza' não pode ser ponto de partida do Irã com EUA, diz ex-presidente iraniano
    Tags:
    acordo nuclear, sanções econômicas, EUA, Irã, JCPOA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar