23:01 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    3132
    Nos siga no

    Segundo informa a mídia estadunidense, no mês passado, vários postos e bases pertencentes ao Exército Nacional Afegão foram rendidos ao Talibã (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países).

    Conforme reporta o The New York Times, pelo menos 26 instalações nas províncias de Laghman, Baghlan, Wardak e Ghazni, decidiram que a partir do dia 1º de maio seria melhor se aceitassem os termos do Talibã e se rendessem ao mesmo, ao invés de esperar por reforços das forças nacionais.

    Muitos dos militares afegãos que se renderam teriam recebido dinheiro e roupas civis, sendo em seguida mandados embora após gravarem declarações de que não voltariam para o Exército afegão, e entregando ao Talibã suas informações de contato.

    Tais eventos perpetrados pela organização terrorista pretendem mostrar o impacto real da retirada das forças dos EUA do Afeganistão, alimentando o receio da comunidade internacional e, nomeadamente, dos cidadãos afegãos em especial.
    Um soldado do Exército afegão revista homem em um posto de controle. Após o início da retirada dos EUA, as forças afegãs estão realizando rígido controle para não deixar o Talibã se apossar de mais territórios no país. Cabul, Afeganistão, 17 de abril de 2021
    © REUTERS / Rahmat Gul
    Um soldado do Exército afegão revista homem em um posto de controle. Após o início da retirada dos EUA, as forças afegãs estão realizando rígido controle para não deixar o Talibã se apossar de mais territórios no país. Cabul, Afeganistão, 17 de abril de 2021

    Vários especialistas, na verdade, vêm avisando de que com a retirada dos EUA do país, o Talibã e outros grupos terroristas, como a Al-Qaeda (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países), venham a dominar por completo o Estado afegão, gravemente afetado por duas décadas de conflito armado, bem como propagarem sua influência na região.

    As operações militares norte-americanas em solo afegão já duram 20 anos, e em fevereiro de 2020, ainda sob presidência de Donald Trump, se viram forçadas em acordar um cessar-fogo com o Talibã, comprometendo-se a abandonar o país até o dia 1º de maio deste ano. Contudo, o presidente democrata, Joe Biden, já anunciou que a data final será até 11 de setembro, e até agora suas forças já foram retiradas do Afeganistão em cerca de 20%.

    Mais:

    Talibã recomeça ataques em meio à retirada das tropas dos EUA
    Ataque do Talibã no Afeganistão mata 8 soldados do Exército
    EUA enviariam porta-aviões USS Ronald Reagan para assegurar retirada de tropas do Afeganistão
    Tags:
    militar, retirada, Talibã, Exército dos EUA, Afeganistão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar