01:31 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    730
    Nos siga no

    O presidente dos EUA saudou o cessar-fogo alcançado entre Israel e o Hamas, ressaltando que palestinos e israelenses "merecem igualmente" viver com segurança, desfrutando de "medidas iguais de liberdade".

    O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, atribuiu à "diplomacia implacável, determinada, mas silenciosa" da administração do presidente norte-americano Joe Biden a mediação do cessar-fogo incondicional entre Israel e o Hamas, que entrou em vigor em 21 de maio.

    Blinken afirmou também que Biden está comprometido com uma solução de dois Estados entre Israel e os palestinos, acrescentando que reparar os danos estruturais em Gaza e lidar com a crise humanitária decorrente do recente surto de violência é o mais importante para a administração.

    O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, durante reunião.
    © REUTERS / Leah Millis
    O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, durante reunião.
    "Presidente Biden deixou muito claro que continua comprometido com uma solução de dois Estados […]. Veja, em última análise, é a única maneira de garantir o futuro de Israel como um Estado judeu e democrático e, é claro, a única maneira de dar aos palestinos o Estado a que têm direito. É para onde devemos ir", afirmou no domingo (23) Blinken durante entrevista à emissora ABC News.

    O secretário de Estado dos EUA continuou: "Mas isso, eu acho, não é algo necessariamente para hoje […]. Precisamos começar a criar as condições que permitiriam que ambos os lados se engajassem de maneira significativa e positiva em relação aos dois Estados".

    Conflito Israel-Palestina

    A recente escalada de confrontos entre Israel e Hamas teve início na noite de 11 de maio, o Hamas lançou inúmeros foguetes contra o Estado judeu que, em resposta, bombardeou centenas de alvos na Faixa de Gaza com mísseis e artilharia. Na sexta-feira (21) o Egito e o Qatar mediaram um cessar-fogo entre Israel e o Hamas.

    Interior do prédio que abrigava mídias internacionais destruído após bombardeio isralense, 15 de maio de 2021
    © REUTERS / Mohammed Salem
    Interior do prédio que abrigava mídias internacionais destruído após bombardeio isralense, 15 de maio de 2021

    Abordando a situação atual nas áreas que mais sofreram com a recente conflagração, que já deixou 243 palestinos e 13 israelenses mortos, o secretário de Estado dos EUA reforçou que israelenses e palestinos precisam viver com segurança e dignidade.

    "Isso tem que começar agora, lidando com a grave situação humanitária em Gaza. Em seguida, reconstrução, reconstruindo o que foi perdido. E, criticamente, envolver os dois lados na tentativa de começar a fazer melhorias reais nas vidas das pessoas para que israelenses e palestinos possam viver com medidas iguais de segurança, paz e dignidade".

    Blinken acrescentou que o grupo militante palestino Hamas "não trouxe nada além de ruína ao povo palestino".

    Mais:

    Com cessar-fogo acordado com Israel, China fornecerá ajuda humanitária à Palestina o quanto antes
    MRE russo saúda cessar-fogo entre Palestina e Israel: é 'passo importante, mas insuficiente'
    Israel vai responder com força a novos ataques com foguetes de Gaza, alerta Netanyahu
    Em prol de 'defesa e segurança' de Israel, Biden se compromete a 'reabastecer' Cúpula de Ferro
    Tags:
    EUA, Joe Biden, Antony Blinken, Hamas, palestinos, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar